Finazzi marca e alerta: ''''Faltam só 7 jogos''''

Atacante quebra jejum de 31 dias, empata jogo, mas lamenta gol perdido

O Estadao de S.Paulo

13 de outubro de 2007 | 00h00

Finazzi tinha tudo para deixar o campo ontem comemorando o fim do jejum de 31 dias sem fazer gols pelo Corinthians. Após seis jogos sem balançar as redes adversárias, enfim desencantou. Aos 41 minutos do segundo tempo, empatou o duelo com o Inter, no Pacaembu. Mesmo assim, saiu na bronca após o 1 a 1. Com ele mesmo. "Me cobro muito e não poderia ter perdido um gol como aquele no primeiro tempo. Se eu marcasse, a história do jogo seria outra", afirmou o camisa 9, lembrando do lance em que ficou na cara do goleiro Clemer e acabou deixando a bola sair após tentar o drible. "Felizmente pude empatar o jogo e evitar uma derrota", conformou-se.Desde a derrota para o Botafogo, 2 a 1, no mesmo Pacaembu, mas pela Copa Sul-Americana, Finazzi não fazia um gol. Na verdade, até fez, no clássico com o São Paulo, mas a arbitragem anulou marcando impedimento. Agora, espera não repetir marca tão negativa. "Não pude ajudar tanto, pois precisávamos da vitória, agora é acertar algumas coisinhas e lembrar que faltam apenas 7 jogos para o campeonato acabar", alertou, já que o time não consegue respirar na luta contra o rebaixamento.O próximo compromisso corintiano será no domingo, dia 21, diante do Náutico, no Recife. Mais uma pedreira, já que os pernambucanos são a pedra no sapato corintiano no ano. Em abril, com um empate em casa, 2 a 2, e vitória no Pacaembu, por 2 a 0, eliminaram o time, na estréia do então técnico Paulo César Carpegiani, da Copa do Brasil. Aprontariam, ainda, pelo Brasileiro: 3 a 0 no Morumbi.Desta vez, contudo, não contam com sua estrela, o uruguaio Acosta, suspenso. "Mesmo assim, eles virão com tudo pra cima da gente, tentando marcar um gol de cara. Será uma guerra??, acredita Finazzi. "Vamos ver se podemos surpreender, afinal, só os três pontos nos interessa", novamente alertou.O time terá o domingo de folga e amanhã se reapresenta já visando o duelo no Recife.INJUSTIÇAO técnico Nelsinho Baptista deixou o Pacaembu transtornado com a igualdade. Segundo ele, o resultado correto seria o triunfo do Corinthians. E nem os 4 pontos conquistados diante de São Paulo e Internacional foram motivos de comemoração. "Infelizmente o resultado não mostrou a realidade que foi o jogo. Teria de ser a vitória nossa, pelo volume de jogo e as chances criadas", enfatizou.O protesto, contudo, não significou bronca em seus jogadores, a quem até elogiou. "Eles corresponderam àquilo que pedi, correram, lutaram, reagiram", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.