Fla flerta com Adriano e Inter não se opõe

Clube italiano diz que espera atacante de volta, após as festas, mas acena com a saída

, O Estadao de S.Paulo

16 de dezembro de 2008 | 00h00

A porta da rua na Internazionale está aberta para Adriano. Não com todas as letras, mas subentendida em declarações polidas e ambíguas. O jogador entendeu que já não é figura imprescindível no elenco e também de forma sutil trata de encontrar rumo, de preferência no Brasil. O Flamengo é o destino preferido - ou mais viável.A Inter tem feito, nos últimos dias, um jogo de morde-e-assopra. O presidente Massimo Moratti afirma, em entrevistas, que o brasileiro não cometeu nenhum ato de indisciplina e que está dispensado de atividades no fim de ano para tratar de enésima contusão. O técnico José Mourinho, mais evasivo, diz que aguarda o atacante de volta em 2 de janeiro, porém admite que, se fosse ele, trataria de seguir a vida em outro clube. O Flamengo entra na ciranda e diz que foi procurado por representantes do atleta. "Podemos conversar, mas não temos ainda um plano", desconversou o vice de futebol Kléber Leite.Na prática, Adriano está novamente numa encruzilhada. Depois do período de recuperação no São Paulo, no primeiro semestre, retornou para a Itália disposto a retomar lugar na Inter. Teve algumas oportunidades com Mourinho, substituto de seu desafeto Roberto Mancini, e em seguida voltou a esquentar banco. A explicação oficial se restringia a vagas informações a respeito de forma física.O caldo entornou na semana passada. O diário La Gazzetta dello Sport noticiou que Adriano chegou "alto" a um treino e imediatamente foi despachado para os vestiários. O clube desmentiu a versão e garantiu que o artilheiro estava contundido. Por isso, teria ficado fora do jogo de anteontem, com o Chievo.O time ainda tem mais um compromisso, antes da pausa para as festas de fim de ano - joga sábado com o Siena, na 17.ª rodada. Mesmo assim, Adriano foi liberado para viajar para o Rio. Sob a singela justificativa de que no calor carioca terá mais condições de acelerar o processo de cura. "Não há nada além disso", insiste Moratti, que no entanto faz um comentário que deixou a imprensa italiana desconfiada. "Ele (Adriano) precisa entender que tem sobre si enorme responsabilidade", ponderou. "Tudo o que faz ganha notoriedade nos jornais, pois é seguido onde quer que vá", notou. "Encontra dificuldades e depende dele contornar a situação", avisou. "Nós o queremos aqui, mas vai depender dele."Mourinho não arreda pé de sua disposição de tê-lo no grupo quando estiver seguro de sua disposição de cumprir horários e esquema de treinamentos. Adriano deveria ter embarcado na noite de domingo. Mas, segundo La Gazzetta, deu meia-volta assim que soube da existência de muitos repórteres no aeroporto de Malpensa/Milão. Preferiu esperar e sair da Itália de forma mais discreta. Não se sabe se para voltar ainda como jogador da Internazionale.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.