Fla vai atacar o desfalcado Bota

Rubro-negro, que joga pela Libertadores na quarta, quer abrir boa vantagem na 1.ª decisão

Bruno Lousada e Leonardo Maia, O Estadao de S.Paulo

26 de abril de 2008 | 00h00

O título do Campeonato Carioca será decidido em dois jogos, a partir de hoje, às 16 horas, no Maracanã, quando Flamengo e Botafogo se enfrentarão pelo segundo ano consecutivo em busca da hegemonia Estadual. Mas para muitos, será esta partida de logo mais que definirá o campeão carioca de 2008. O raciocínio é simples. O Botafogo chega com quatro sérios desfalques, contra um Flamengo que só não contará com o meia Renato Augusto, machucado. O time rubro-negro, em seguida, terá de ir ao México encarar o América, pelas oitavas-de-final da Libertadores, antes de retornar para fazer o segundo jogo contra o Botafogo. Uma vitória alvinegra, ou mesmo um empate, deixará o troféu muito perto de General Severiano. Até porque o time comandado por Cuca terá a semana livre para treinar. "É uma ilusão achar que já estamos com a vitória garantida no segundo jogo", rebateu Cuca, ressaltando que o cansaço que o Flamengo sentirá pela viagem é relativo. "Isso é papo furado", fez coro o volante Túlio. "Nada vai ser decidido neste primeiro jogo. Você só sente o cansaço quando perde", disse, em referência à possibilidade de enfrentar um Flamengo desgastado no próximo domingo. Na Gávea, o pensamento é tentar a maior vantagem possível, que permita administrar o resultado na finalíssima. "O mais importante é vencer, nem que seja por 1 a 0", declarou o atacante Souza, certo de que o cansaço é mais um adversário. "Não acho que teremos um campeão depois deste jogo", disse o artilheiro do campeonato, Wellington Paulista, do Botafogo. O problema alvinegro será a ausência dos laterais Triguinho (machucado) e Alessandro (suspenso), do goleiro Castillo (machucado) e do atacante Jorge Henrique (suspenso). "A decisão todos desejam jogar. É a chance de ficar marcado na história do clube", destacou o capitão Lúcio Flávio."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.