Flamengo comemora vitória na Libertadores, mas lamenta lesão do meia Diego

O técnico Zé Ricardo exaltou a atuação do Flamengo na vitória por 2 a 1 sobre o Atlético Paranaense, nesta quarta-feira, no Maracanã, em jogo da terceira rodada do Grupo 4 da Copa Libertadores. E agradeceu, em especial, o meia Diego, autor de um dos gols, que saiu no decorrer do segundo tempo após sofrer uma lesão no joelho.

Estadao Conteudo

13 de abril de 2017 | 09h42


"Agradeço a ele pelo empenho, foi para o jogo com muita vontade. Com toda a energia da nossa torcida não tem como não se contagiar. Acabou sofrendo uma lesão e será avaliado amanhã (nesta quinta) para sabermos a extensão dessa lesão. Mas hoje (quarta) ficou provado que temos um grupo forte. Alguns atletas que não vinham jogando tanto assim entraram bem, mostraram espírito de luta. Orgulho muito grande de comandar um grupo assim", afirmou o treinador, em entrevista coletiva.


O meia Diego lamentou o lance no qual se machucou e disse que percebeu a gravidade da contusão. "Eu fiquei preocupado, movimento estranho, a torção do joelho. Fui levantar da maca e (o joelho) deu uma bambeada, não deu para continuar. É difícil falar com antecedência. Vamos fazer os exames e ver com exatidão amanhã (esta quinta-feira). É no joelho, no ligamento colateral", analisou Diego em entrevista à TV Globo.


O atacante peruano Paolo Guerrero destacou a importância do meia Diego para o Flamengo e a falta que ele fará, caso a recuperação demore. Mas procurou exaltar a força do elenco rubro-negro.


"Todos sabem que ele é muito importante para o time, controla bem o jogo, organiza o time. Perdemos um pouco o controle no meio de campo, mas não deixamos de lutar, nos doamos, lutamos até o fim. Com certeza o menino Matheus Savio, que entrou (no lugar de Diego), vai pegar experiência e vai se soltar também", ponderou Guerrero.


O Flamengo volta a campo pela Copa Libertadores no próximo dia 26, novamente contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada, em Curitiba. O técnico Zé Ricardo ressalta o equilíbrio no grupo, mas evita prognósticos. O treinador também lembrou que antes deste duelo a equipe tem um confronto diante do Botafogo, pelas semifinais do Campeonato Carioca, no final de semana anterior à partida.


"É uma competição tão equilibrada e um grupo tão difícil. Fazer qualquer tipo de prognóstico é complicado nesse final de turno. Até o San Lorenzo tem chance de classificar. Sabíamos da importância de vencer a partida em casa porque sabemos que está tudo em aberto. Agora é descansar bastante para o jogo de domingo (do dia 23) contra o Botafogo e pensar depois no jogo contra o Atlético lá (em Curitiba)", projetou o comandante.


Com a vitória sobre os paranaenses e o empate no jogo entre Universidad Católica e San Lorenzo (1 a 1), o Flamengo assumiu a liderança do Grupo 4 da Libertadores, com seis pontos. A Universidad Católica tem cinco, o Atlético Paranaense quatro e o San Lorenzo é o lanterna da chave, com apenas um ponto conquistado.

Tudo o que sabemos sobre:
futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.