Flamengo quer punição em caso de assédio

A diretoria rubro-negra adotou uma postura radical em relação ao escândalo no vôlei, no qual a jogadora Gisele Gomes, depois de ser dispensada, acusou o técnico do Flamengo/Campos, Sérgio Negrão, de assediá-la sexualmente. O clube quer que um dos dois seja banido do esporte. ?Alguém tem que ser punido. Ou ela, por supostamente estar mentindo, ou ele, pelo suposto crime de assédio sexual?, declarou o diretor-geral de Esportes Olímpicos do clube, Ércio Braga, ressaltando que só tomará providências após a denúncia ser apurada.Sobre o escândalo, ele voltou a dizer que o treinador não tem nenhuma mancha na carreira a tal ponto de culpá-lo pelo episódio, mas também destacou que ?não há como falar que ela está mentindo?. ?É uma situação difícil. Garanto somente que o passado dele (Sérgio Negrão) é limpo. Sobre ela, não a conheço?.O dirigente afirmou, em seguida, que o Departamento Jurídico do Flamengo está acompanhando o caso pelos jornais. Gisele prestou queixa contra Negrão na 134.ª Delegacia de Polícia (Campos), no dia 8 de dezembro, três dias após ser cortada da equipe.? Ninguém no clube sabe de nada. A Gisele não veio aqui prestar esclarecimentos e a delegacia de Campos (onde o caso foi registrado) não enviou nenhum ofício até agora. Me sinto como uma mulher traída. Sou o último a saber das coisas?. De acordo com Braga, o técnico Sérgio Negrão contratou advogado particular para defendê-lo em Campos, cidade-sede da equipe, cuja distância em relação ao Estado do Rio de Janeiro gira em torno de 250 quilômetros.?Se ele quiser, vamos apoiá-lo. Mas ele tem total liberdade para escolher o advogado que quiser. Nem me importo com isso. A opção dele é até boa para o Flamengo, que não arca com o deslocamento de nenhum profissional?.Segundo reportagem do Jornal dos Sports publicada no último sábado, a jogadora contou que o treinador pediu favores sexuais em troca de vaga no time. Negrão, de acordo com a matéria do jornal carioca, afirmara que a carreira dela no vôlei cresceria rapidamente caso se tornasse sua amante. Na denúncia, a atleta teria dito que o treinador estava disposto a pagar por isso. Negrão negou as acusações de Gisele, a quem chamou de irresponsável.

Agencia Estado,

13 de dezembro de 2005 | 18h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.