Flamengo se irrita com ''traição'' do atacante

Ronaldo expôs o nome do Flamengo ao ser flagrado com travestis na noite carioca vestindo a camisa do clube, utilizou as dependências do clube por três meses com médico, fisioterapeuta e nutricionista à disposição. Recebeu tratamento vip na Gávea. Declarou mais de uma vez que o Flamengo teria prioridade absoluta em eventual negociação para voltar ao futebol brasileiro.Ontem, ao acertar com o Corinthians, o atacante deixou mais do que incrédulos dirigentes e torcedores do time carioca, ainda sob o choque da perda de vaga para a Taça Libertadores. O presidente Marcio Braga foi informado por assessores sobre a transação quando estava numa reunião de diretoria para traçar os planos do futebol da equipe. Sua reação foi de espanto. "Ficou estupefato, quase caiu duro", contou uma pessoa próxima ao dirigente. A reação de outros nomes de peso do clube soou irônica. "É isso mesmo? Então que ele seja feliz lá", disse o presidente do Conselho Administrativo, Michel Assef.A indignação parecia mais incontida entre torcedores, que chegaram a criar a campanha "Fica Ronaldo". Seu organizador, José Carlos Peruano, promoveu um protesto à tarde na sede do clube, com um grupo de 20 rubro-negros. Eles queimaram fotos do atleta com imagens associadas ao Flamengo aos gritos de "traidor!" O astro virou persona non grata. Ronaldo não disputa uma partida oficial desde 13 de fevereiro. Na ocasião, pelo Milan, sofreu grave lesão no joelho esquerdo atuando contra o Livorno, pelo Campeonato Italiano. A pedido do próprio atacante, o Flamengo abriu-lhe as portas da Gávea para recuperar a forma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.