Flotilha da Brasilis chega 2ª a Vitória

Os 18 veleiros confirmados dos 22 inscritos para a quinta edição da Eldorado Brasilis ? a maior regata de vela oceânica do País, com largada dia 17, às 12 horas, na Praia de Camburi, em Vitória, rumo à Ilha de Trindade, a 2.300 quilômetros ? chegam nesta segunda-feira ao litoral do Espírito Santo. Uma das novidades da regata é a Fórmula Eldorado, disputa entre dois veleiros rigorosamente iguais, de alumínio e 42 pés, projetados pelo belga Thierry Stump: ?Vininautos Nanuk? e ?Vininautos Planckton?. Stump também é responsável pela construção de pelo menos outros 70 barcos, dentre eles o Paratii 2, de Amyr Klink. Ambos partiram de Ilhabela, na terça-feira. ?Vencerá o barco que tiver o melhor talento na tripulação. Não adianta ter só um barco bom. Além disso, as condições meteorológicas também precisam nos ajudar?, diz Stump, que prefere ser ?pé no chão?. ?Os barcos competirão pela primeira vez, por isso, não dá para prever nada. O veleiro é como um bebê, precisa aprender a andar primeiro?, explicou Stump. Os barcos possuem uma grande área vélica e mastro mais leve, o que permite maior velocidade. A capitã do barco de Thierry, Nádia Megonn, está confiante ?o barco tem condições de bater o recorde.? Ernesto Breda estabeleceu o recorde em 2001, com 181h49, ao percorrer as 1.260 milhas náuticas. Mas Sérgio Rossi, diretor de vela do Iate Clube do Espírito Santo, aposta no barco ?Até Logo?, de Jadir Serra, para a quebra de recorde, porque ?é o mais veloz?. Rossi participará pela primeira vez da regata como competidor, uma vez que nas edições anteriores trabalhou na organização do evento. ?O meu barco (?Gato Xadrez?) é o menor, tem 30 pés. Vamos correr por fora, mas faremos uma grande festa.? Outro barco com grande chance de vencer a prova é o ?Oi/Nokia/Sorse?, bicampeão da regata Santos-Rio. O veleiro de 43 pés, de fibra, foi projetado nos Estados Unidos, em 1996. Também participa da prova pela primeira vez. ?Vamos estrear para bater o recorde?, diz Eduardo Penido. Fora das outras edições ?porque a prova ainda não tinha muita tradição?, Penido acredita que a disputa este ano será bem acirrada. ?O número de embarcações cresceu bastante e isso me motivou a participar?, contou. Na véspera da regata, moradores da cidade demonstram seu interesse. ?Em todas as edições da Eldorado-Brasilis abrimos o Iate Clube para visitação. O diferencial nesta edição é que daremos oportunidade às pessoas que nunca velejaram. Haverá uma escolinha de vela, além da feira Vitória Nautishow, entre os dias 9 e 18?, contou Rossi. A feira terá 54 estandes de equipamentos náuticos, festival de frutos do mar e desfile de moda náutica. Além disso, visitantes poderão conferir os veleiros que participarão da regata. Lars Grael, secretário estadual de Juventude, Esporte e Lazer, e o velejador Marcelo Ferreira, proeiro de Torben Grael, darão palestras sobre esportes náuticos e aulas para alunos do Projeto Grael. Outra novidade desta edição é o apoio do catamarã ?Supernova?, de 54 pés, que substituirá o rebocador da Marinha, o ?Tridente?. O barco do engenheiro Oscar Müller é a motor e todo de alumínio e também construído por Stump. A Eldorado-Brasilis, com patrocínio do Cenoura e Bronze, é uma realização da Rádio Eldorado.

Agencia Estado,

10 de janeiro de 2004 | 18h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.