Flu testa poder de superação para conquistar vaga

Abatida pelos 3 a 0 que levou no Grêmio pela Libertadores, equipe de Abel Braga tem de vencer o Madureira para avançar

O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2013 | 02h09

Além da obrigação de vencer o Madureira hoje, às 16 horas, no campo do Bangu, para garantir a classificação para a semifinal da Taça Guanabara sem depender de outros resultados, o Fluminense vai ter de mostrar seu poder de superação, quatro dias depois de ser "humilhado" pelo Grêmio, no Rio, em jogo pela Libertadores.

O técnico Abel Braga foi hostilizado pela torcida no Engenhão, indício de que seu prestígio não é o mesmo do ano passado. Se o Flu tropeçar - o Madureira também tem chances matemáticas de classificação - e o Boavista aprontar para cima do Botafogo, o time de Abel Braga pode perder lugar na semifinal.

Ele confirmou que vai deixar de fora jogadores importantes, como Fred e Wellington Nem. Quer poupá-los para o jogo de quarta-feira, contra o Huachipato, no Chile, pela Libertadores.

O Fluminense é o segundo do B, com 15 pontos, atrás do Flamengo. O Boavista é o terceiro, com 13. No Grupo A, o Madureira tem 11 pontos e ocupa a terceira posição. Pode ultrapassar o Vasco, o segundo, que soma 13 pontos. Este grupo é liderado pelo Botafogo, com 14.

Altos e baixos. A fase de classificação da Taça Guanabara foi de altos e baixos para o Vasco. Depois de um início animador, com três vitórias seguidas, o torcedor vascaíno amargou outros três jogos sem vitória. Hoje, os vascaínos precisam da vitória sobre o Duque de Caxias, lanterna do Grupo B, às 16h, no Estádio Cláudio Moacyr, em Macaé. Também dependem de um tropeço do Botafogo contra o Boavista.

A oscilação do time no Campeonato Carioca coincidiu com o momento de um jogador em especial: o meia Bernardo, que voltou ao time em 2013 depois de ser emprestado ao Santos na temporada passada. Hoje, devido às lesões de Carlos Tenorio e Leonardo, o meia vai ganhar nova chance.

"Ele terá uma bela carreira pela frente e espero que volte a ser o jogador que a gente conhece", afirmou o treinador Gaúcho.

Para o zagueiro Dedé, que até agora já teve três companheiros diferentes de zaga - Douglas, André Ribeiro e Renato Silva, que será novamente titular hoje -, o setor defensivo do Vasco está com crédito. "Fizemos mais jogos bons do que ruins".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.