Fluminense dispensa Parreira e efetiva auxiliar

Carlos Alberto Parreira dormiu no domingo à noite como técnico do Fluminense e acordou ontem de manhã demitido. Ele não resistiu a mais um vexame do time tricolor no Campeonato Brasileiro. A gota d?água para a saída do treinador foi a derrota para o Santo André, por 1 a 0, no Engenhão, no domingo. O resultado levou a equipe para a zona de rebaixamento e detonou uma crise no clube.Ontem mesmo, a diretoria tricolor surpreendeu e tomou uma decisão polêmica: efetivou o auxiliar técnico Vinicius Eutrópio como treinador. Anunciou ainda que Parreira pode ocupar o cargo de coordenador geral do futebol. Eutóprio será avaliado nas próximas rodadas e pode sair se o time não reagir."Não vamos em busca de outro treinador agora. Se for o caso de mudar, faremos isso com calma", disse o vice-presidente de futebol, Tote Menezes.A decisão sobre a dispensa de Parreira foi tomada pela diretoria do Fluminense, com o aval do patrocinador do clube, na manhã de ontem. A terceira passagem do técnico tetracampeão mundial pelas Laranjeiras foi, no máximo, regular. Comandou a equipe em 24 jogos, com 8 vitórias, 9 empates e 7 derrotas - 33 gols a favor e 30 contra.Tão conturbado quanto o clima nas Laranjeiras é a relação entre o clube e o patrocinador. Pelo menos na opinião de Parreira, que criticou a parceria. "O clube vive uma cogestão muito complicada, difícil de ser equacionada. É uma relação de conflito permanente para o Fluminense. Há interesse dos dois lados", disse ao Sportv. TROCA NO NÁUTICOA diretoria do Náutico também optou ontem pela troca de treinador. E agiu rápido. Demitiu Márcio Bittencourt e anunciou imediatamente Geninho como seu sucessor. O treinador já teve passagem pelo Sport em 2007, depois comandou o Atlético-PR na Série A deste ano e estava sem clube. Sua apresentação deve ser hoje.TITE AMEAÇADODepois de perder seis dos 11 jogos que disputou desde o início de junho, entre os quais os que decidiram a Copa do Brasil e a Recopa Sul-Americana, o técnico Tite balança cada vez mais como técnico do Inter. Mesmo que o presidente do clube, Vitório Piffero, e o vice-presidente de futebol, Fernando Carvalho, assegurem que não vão mudar o comando do time, a manutenção do emprego do treinador vai depender dos resultados desta semana, contra o Fluminense, amanhã, e contra o Grêmio, no domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.