Foi a realização de um sonho, diz Mineirinho

Bicampeão dos X-Games Latino Americano na categoria vertical (pista com o formato de U), o skatista Sandro Dias, o Mineirinho, de 26 anos, é o retrato da felicidade. E não há como ser indiferente à conquista do título e ao carinho recebido da torcida, que lotou a arena montada na Praia do Leme, no Rio. Além de superar Bob Burnquist, maior destaque da modalidade, a realização do movimento denominado 900º - onde o atleta dá dois giros e meio no ar - foi a concretização de um sonho inimaginável quando criança. "Caramba... Consegui mesmo. Quando quase realizei a manobra no sábado, tive a certeza de que a faria no domingo", contou Mineirinho, ainda eufórico pelo feito só realizado por Tony Hawk (americano) e Georgio Zattone (italiano). Ele passou o dia inteiro de hoje participando da gravação de programas de esportes e parecia deslumbrado. Em 1990, quando tinha 14 anos, o Brasil quase desperdiçou a chance de tê-lo como um dos principais representantes nos esportes radicais. Quem aprecia as manobras arrojadas de Mineirinho, sentiria a ausência de sua ousadia no half pipe (pista). Sem local apropriado para treinar, Sandro Dias abandonou a carreira por cinco anos. Estava desiludido, sem patrocinadores e sem ambição. Mas passar por obstáculos não era sinônimo de dificuldades para ele. Aos 10 anos, Mineirinho começou a andar de skate usando pneus de carro na garagem de seu prédio, localizado em Santo André (SP). A partir dali, mostrava o equilíbrio necessário para ser um atleta de ponta. Por isso, a cada manobra aplicada hoje com perfeição, seu pensamento reflete lembranças de um passado baseado na superação. Deu a volta por cima e, em 1995, retornou à ativa em plena forma: conquistou a quinta posição em sua primeira competição. Esse resultado lhe deu uma nova injeção de ânimo para alçar o sucesso. Após quatro anos, Mineirinho participou dos X-Games e dos Gravity Games, eventos mais importantes dos esportes radicais, e terminou a temporada entre os 20 melhores atletas do mundo. Era apenas o início de uma carreira promissora. Mineirinho começou a despontar há dois anos. Conquistou os títulos da World Cup Skateboarding, da WCS, disputada na Austrália, dos X-Games na categoria vertical e o Slam City Jam, no Canadá. Seu nome ocupou o melhor lugar no ranking mundial. Formado em administração de empresas, Mineirinho reside atualmente na Califórnia. E explicou o motivo da mudança de ares. "Lá fora é bem diferente o skate. O mercado é melhor, tudo acontece por lá: circuito mundial, a indústria do skate e material novo." Para ele, quem vai disputar o evento mundial, em agosto, na Califórnia, tem de estar envolvido com a competição. "Por isso é preciso estar lá. Senão, não adianta", afirmou o atleta, que se tornou profissional há 7 anos. Ainda sonhando com vôos maiores, o skatista fez questão de agradecer novamente o apoio do público, que exibia uma placa com a nota 10 a cada performance da estrela do skate, na Praia do Leme. "Eles são demais e fundamentais nesse evento", ressaltou Mineirinho. O ambiente da arena também contribuiu para a performance do atleta: pista em ótima condição, sol forte, som alto, torcida gritando e aplaudindo a cada manobra radical. Sandro Dias provou que, além de ter superado a gravidade, ultrapassou as barreiras impostas pela vida desde quando ainda era uma jovem promessa de um esporte, até então, pouco praticado e valorizado no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.