'Foi um desempenho para ser esquecido', diz Maurren Maggi

Atual campeã olímpica no salto em distância, Maurren Higa Maggi decepcionou neste domingo, no Mundial de Atletismo. Queimou seus dois primeiros saltos, não conseguiu encaixar o terceiro e acabou apenas na 11.ª posição na final, longe do esperado pódio. "Foi um desempenho para ser esquecido", desabafou.

AE, Agência Estado

28 de agosto de 2011 | 15h27

Antes mesmo de Usain Bolt protagonizar um momento histórico ao largar em falso na final dos 100m, a brasileira lembrou que todos os atletas estão sujeitos a erros. "O que houve aqui comigo acontece em todas as competições com alguém", disse ela.

Se repetisse os 6,86m que lhe deram a primeira posição na fase de classificação, Maurren teria sido medalhista de ouro em Daegu. Para o técnico Nélio Moura, apesar de ter ficado fora do pódio, a brasileira provou, no Mundial, que pode voltar a brilhar em Londres. "O que importa é que ela mostrou ao mundo que está definitivamente de volta ao grupo das melhores, sem dever absolutamente nada para ninguém. A temporada de 2012 tem tudo para ser especial para ela", garantiu.

Nas semifinais dos 800m, Kléberson Davide foi bem, foi o sétimo mais rápido no geral, mas não avançou à final. O tempo dele (1min45s06) lhe deu a terceira colocação na série, mas apenas os dois primeiros avançavam. Ele também não conseguiu ficar entre os dois melhores tempos dentre os restantes. Foi eliminado por detalhes. "O que planejei com o Clodoaldo (do Carmo, técnico), consegui fazer. Não deixei o Rudisha (David, recordista mundial da prova) escapar. Estivemos juntos até os últimos 100m. Mas não vi a chegada do polonês (Adam Kszczot). Com um sprint forte, ele me passou nos últimos 50 metros. Foi mérito dele", declarou.

Geisa Aparecida Coutinho tinha poucas chances de chegar à final dos 400m. Terminou em sexto a sua eliminatória, com 51s87, e acabou eliminada. "Corri muito, mas o tempo da oitava classificada para a final foi 50s66. É marca melhor que meu recorde (51s08)", lembrou Geisa, que espera chegar à final com o revezamento 4x400m.

Nas eliminatórias dos 100m femininos, Ana Cláudia Silva confirmou a boa fase e foi a terceira na sua bateria, com 11s27, passando às semifinais com o 15.º melhor tempo no geral. Rosângela Santos, apesar dos 11s38 (26.º tempo), também avançou por ter sido terceira colocada na sua série. Ela ficou a dois centésimos do seu recorde pessoal.

"Elas fizeram o que precisavam e fizeram bem feito. A semifinal será mais forte, ainda, mas elas estão bem ", explicou o treinador Katsuhico Nakaya.

Nos 20 km da marcha atlética, Caio Bonfim foi o único brasileiro a completar a prova, em 22.º, com o tempo de 1min24s29. O outro brasileiro na prova, Moacir Zimmermann, também completou o percurso, e só depois foi avisado que fora desqualificado. A Confederação Brasileira protestou contra a decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.