Fora de domingo, Ronaldo corre para pegar o Goiás

Exame aponta lesão na coxa direita do astro, que não enfrenta o Vasco. Esforço corintiano agora é para tê-lo na última rodada

Fábio Hecico, O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2010 | 00h00

A chance de o Corinthians ser campeão diminuiu bastante após o empate com o Vitória, por 1 a 1, em Salvador. Para erguer a taça, o time terá de ganhar as duas e torcer por um tropeço do Fluminense. A tarefa é dura, mesmo assim, a confiança prevalece. E a prova disso será o esforço que o clube e Ronaldo farão para que ele esteja em campo diante do Goiás, na rodada decisiva, dia 5 de dezembro. Com pequena lesão muscular na coxa direita, o Fenômeno não encara o Vasco, domingo, no Pacaembu. Trabalhará para retornar em Goiânia, com o desejo de estar no foto do pôster de campeão.

"Ele teve uma lesão no posterior na coxa, pequena, dentro do que pensávamos clinicamente. Esperamos um período até o momento da realização do exame, para uma diminuição do possível edema que pudesse atrapalhar. Vai demorar sete dias para cicatrização, então ele está fora do próximo jogo. Mas vamos continuar a fisioterapia iniciada logo após o jogo para que ele atue diante do Goiás", explicou o médico Paulo de Faria.

Inicialmente, a suspeita era de fim de ano para o Fenômeno. O resultado do exame de imagem, no entanto, tranquilizou os corintianos. "O Ronaldo já venceu desafios maiores. Pela capacidade e pelo trabalho, acreditamos que ele deva jogar contra o Goiás", comentou Paulo de Faria.

Ronaldo é um líder no elenco. Sem contar sua capacidade de decisão e de deixar os companheiros na frente do gol. Com ele em campo, o alvinegro ganhou seis partidas e empatou outras três no Nacional. Sua importância é tão grande que, após a contusão em Salvador, o Alvinegro caiu de produção. Domingo, certamente ele estará no Pacaembu torcendo e dando apoio à equipe, diante do Vasco.

Os médicos esperam que ele esteja apto a treinar com bola na próxima terça-feira. Enquanto isso, segue com o tratamento intensivo. "A lesão é pequena, mas não impede que tenhamos todos os cuidados. A cicatrização, normalmente, vem em sete dias. Depois, repete-se o exame, além de fisioterapia e cuidados preventivos", afirmou Paulo de Faria.

O médico garante, contudo, que, se Ronaldo voltar em Goiânia, será em plenas condições, e não por causa da importância da partida. "Não existe essa de entrar sem condições. Estando bem, sentindo-se bem, não temos motivos para deixá-lo fora. O Ronaldo, porém, vai passar por testes e simulações de jogo."

Os cuidados são para não repetir com Ronaldo o que houve com o companheiro Dentinho, que retornou precipitadamente e, em oito minutos, voltou a sentir lesão muscular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.