Wilton Junior/ Estadão
Wilton Junior/ Estadão

Forças públicas irão proteger 860 mil pessoas na Rio-2016

Agentes estarão em 41% das instalações olímpicas

RONALD LINCOLN JR., Estadão Conteúdo

06 de maio de 2015 | 19h52

Reunião que contou com autoridades da segurança pública do Rio de Janeiro definiu nesta quarta-feira que serão as forças públicas as responsáveis por garantir a proteção da maior parte dos torcedores que assistirão aos Jogos Olímpicos de 2016. A princípio, a segurança ficaria totalmente a cargo do Comitê Rio-2016.

As forças públicas serão responsáveis por proteger cerca de 860 mil pessoas durante a Olimpíada. Os agentes públicos farão o controle de todos os locais de competição, Centros de Treinamentos, Vila Olímpica e Vila dos Árbitros, o que representa 41% das instalações. As exceções serão os estádios que receberão os jogos de futebol - devem contar com seguranças privados.

" SRC="/CMS/ICONS/MM.PNG" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;

Inicialmente, o Comitê Rio-2016 assumiria toda a segurança dos Jogos. Mas, depois de um acordo, parte deste trabalho foi transferido para o governo. A definição ocorreu nesta quarta após uma reunião da Comissão Estadual de Segurança Pública e Defesa Civil para os Jogos Rio-2016 no estado do Rio de Janeiro, que reúne representantes de mais de 30 entidades, incluindo as secretarias de segurança dos três entes de governo - municipal, estadual e federal.

Embora o número de instalações a cargo do governo represente apenas 41% do total, a expectativa é que comporte 82% do contingente de serviço, isso porque engloba os principais locais do evento. Os demais 59% seguem sob responsabilidade do Rio-2016 e são compostos, por exemplo, pela sede da entidade, depósitos, entre outros locais, que terão segurança privada.

"Vamos assumir algumas áreas de competição, treinamento, Vila Olímpica. Aquelas que têm interesse público, presença de atletas, mídia e árbitros", afirmou Andrei Rodrigues, secretário de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça. "Assumiremos do dia 5 de julho de 2016 e manteremos até 10 dias após a final da Paralimpíada." Nos demais períodos o Comitê Rio-2016 ficará responsável pelos ambientes.

Assim como ocorreu no Pan-Americano do Rio-2007, os agentes da Força Nacional de Segurança Pública foram escolhidos para atuar na Olimpíada do Rio. De acordo com Rodrigues, a entidade tem 13 mil soldados, mas ainda não foi definido quantos deles serão necessários. Militares da reserva, e agentes estrangeiros também devem ser utilizados.

TERRORISMO

Rodrigues revelou também que uma equipe de seis agentes de segurança pública do Rio estiveram recentemente em Boston, nos Estados Unidos, para trocar experiências sobre prevenção de atentados. Em 2013, a cidade foi alvo da ação de terroristas durante uma maratona que ocorre tradicionalmente todos anos.

Além disso, ele explicou que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) apresentou um projeto de um Centro de Inteligência para os Jogos, do qual mais de 100 países demonstraram interesse em colaborar. "O Brasil garante um nível de qualidade de segurança que sempre que garantiu nos Grandes Eventos. Na Copa do Mundo tivemos um bom ambiente graças ao empenho de todos."

Tudo o que sabemos sobre:
rio 2016Olimpíada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.