Foster, 38 anos, garante vaga em Pequim Liam Tancock bate recorde nos 50 costas

Nadador britânico obtém índice para competir na prova dos 50 metros livre, em sua quinta participação nos Jogos

O Estadao de S.Paulo

03 de abril de 2008 | 00h00

Além de Mark Foster, outro nadador que brilhou nas seletivas britânicas para os Jogos de Pequim foi Liam Tancock, novo recordista mundial dos 50 metros costas (a prova não é olímpica). Com o tempo de 24s47, o britânico superou a marca do alemão Thomas Rupprath, 24s80, de julho de 2003. Tancock usou o traje LZR Racer da Speedo ontem.Foi o 19.º recorde mundial da natação batido este ano. Os britânicos não tinham um atleta no topo das marcas mundiais desde 1990, quando Adrian Moorhouse fez o melhor tempo nos 100 metros borboleta. ''Eu estava me sentindo bem nos treinos e me perguntei, por que não (bater o recorde)?'', disse Liam Tancock.Em um esporte onde a longevidade é fato raro, o nadador inglês Mark Foster conseguiu ontem um feito: aos 38 anos, se classificou para defender a Grã-Bretanha na prova dos 50 metros livre na Olimpíada de Pequim. Conquistou a vaga durante as seletivas que estão sendo realizadas em Sheffield, Inglaterra. Será a quinta olimpíada da carreira do atleta. Ele estreou há 20 anos, em Seul.Foster, cujo melhor resultado na carreira foi uma medalha de bronze nos 50 metros livre no Mundial de 2003, mostrou capacidade de superação incomum. Depois de colecionar títulos mundiais em piscina de 25 metros - quatro nos 50 metros livre e dois nos 50 metros borboleta -, decepcionou ao não conseguir índice para a Olimpíada de Atenas, em 2004. Ficou a sete centésimos do índice estabelecido pela Federação Britânica de Natação, o que o levou a contestar os métodos de trabalho do treinador da equipe na época, Bill Sweetenham. Porém, naquele mesmo ano Foster se reabilitou ao conquistar a medalha de ouro nos 50 metros livre do Mundial de piscina curta de Indianápolis.Dois anos depois da façanha, em 2006, o nadador anunciou sua aposentadoria. O britânico ficou um ano longe das piscinas, mas voltou à ativa em 2007. Ontem, se classificou para Pequim e será o único britânico nos 50 metros livre. Antes da prova, admitiu que não tinha certeza se conseguiria a vaga. A s seletivas foram disputadas pela manhã em Sheffield e Foster nunca escondeu sua dificuldade em acordar cedo para competir.ESTILO PRÓPRIOO britânico foge ao estilo tradicional da natação. Enquanto a maioria dos velocistas costuma disputar as provas dos 100 e 50 metros, Foster optou pela prova mais curta. Questionado certa vez sobre o motivo, deu uma resposta que se tornou famosa: ''Por que fazer virada e voltar?'' Ele também ficou conhecido por trocar muitas vezes de técnico, sempre buscando um profissional que se adaptasse ao seu estilo. Nos anos 90, inovou ao incluir corridas e mais sessões de ginástica ao treinamento, diminuindo o tempo de permanência na piscina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.