Fota decide ter seu campeonato

Entidade que representa equipes racha com FIA e vai organizar sua própria competição em 2010

Livio Oricchio, SILVERSTONE, O Estadao de S.Paulo

19 de junho de 2009 | 00h00

Não tem mais discussão: a Associação das Equipes de Fórmula 1, Fota, anunciou ontem que promoverá seu próprio campeonato. Max Mosley, presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), deu prazo até hoje para as equipes aceitarem suas imposições, caso contrário chamaria novos times para substituí-las. Pois é o que terá de fazer. Depois de quatro horas de reunião, ontem à noite, a Fota decidiu partir para um projeto próprio. "As equipes não podem mais comprometer os verdadeiros valores de nosso esporte e retiram sua inscrição condicionada no Mundial de 2010", traz o comunicado da Fota. "Não tivemos alternativas a não ser começar a preparação de um novo campeonato, capaz de refletir os valores de seus participantes e de seus associados."A Fota expõe o que fará na sua competição que não tem com a FIA: "Nossa disputa terá um gerenciamento transparente, um regulamento apenas. Vamos encorajar a entrada de novas escuderias. Vamos ouvir os fãs, e ainda nossos preços para espectadores e interessados em comprar nosso produto serão mais baixos." Na quarta-feira, as negociações entre representantes da Fota e Mosley haviam avançado significativamente. A Fota aceitou um limite orçamentário, como exigiu Mosley, embora de 100 milhões (R$ 274 milhões) em vez de 40 milhões (R$ 109 milhões), e o próprio presidente da FIA concordou em retirar o parágrafo que incluiu por conta própria no código desportivo, garantindo-lhe plenos poderes para fazer o que bem entender com a Fórmula 1. Tudo deu errado porque Mosley, doentiamente autoritário, exigiu que as equipes retirassem a exigência de se inscrever apenas se o regulamento fosse revisto. O prazo final é hoje. Mas, como a Fota não tinha nada que lhe garantisse que, retirando a inscrição condicionada, Mosley cumpriria o combinado, solicitou para estender a data até 1º de julho. Seria o tempo para assinar a extensão do Acordo da Concórdia, conjunto de regras que rege as relações entre times, FIA e FOM, detentora dos direitos comerciais, administrada por Bernie Ecclestone. Mosley não concordou e ainda mandou o recado de que as equipes que correriam com motor Cosworth não teriam o limitador de giros, como os demais. De novo a história de regulamentos distintos na mesma competição. Tudo isso levou a Fota a se encher dos desmandos de Mosley. Hoje ele estará no circuito de Silverstone e terá de responder em todas as línguas que domina como será a sua Fórmula 1, com apenas Williams e Force India, dentre as escuderias atuais. E como hoje é o dia de ele anunciar as 13 equipes de 2010, todos vão desejar saber quem são. Bernie Ecclestone deverá, também, se manifestar, provavelmente ameaçando todos de processos por descumprir contratos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.