França se revigora e pede passagem

Em partida marcada pela interrupção por causa de temporal, franceses vencem ucranianos e precisam de mais 1 ponto

DONETSK, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2012 | 03h07

Aos poucos a França se acerta na Eurocopa. Na estreia, quando empatou com a Inglaterra por 1 a 1, o time comandado por Laurent Blanc deixou boa impressão, sobretudo na movimentação ofensiva. Contra a Ucrânia, ontem, os franceses tiveram de mostrar força para fazer 2 a 0 nos donos da casa, em partida especialmente complicada pelos 55 minutos de paralisação por causa da forte chuva que caiu em Donetsk.

A vitória levou a França à liderança do Grupo D, com quatro pontos, mesmo número da Inglaterra, que fechou a segunda rodada ao bater a Suécia por 3 a 2, em Kiev. A vantagem francesa deve-se ao saldo de gols (2 a 1).

Na terceira e última rodada, programada para terça-feira, os franceses terão pela frente os eliminados suecos, que ainda não somaram ponto. Um empate garante a classificação para a fase eliminatória. A liderança vai depender do resultado da partida entre Inglaterra e Ucrânia. Com três pontos, os ucranianos precisam vencer para avançar. Os ingleses se classificam com mais um ponto.

Dilúvio. Ucranianos e franceses disputaram apenas quatro minutos da partida antes que o temporal obrigasse o árbitro a interrompê-la. Após quase uma hora de espera e muito esforço da organização, que fazia o possível para tirar a água do gramado, o jogo foi reiniciado.

A paralisação, no entanto, parecia ter esfriado os jogadores e a partida recomeçou com ritmo lento. O meia Ménez e atacante Nasri perderam boas oportunidades para a França. Shevchenko respondeu para a Ucrânia. Mas o primeiro tempo terminou mesmo sem gols.

Na etapa final, o panorama mudou e os franceses foram para cima, pressionaram, até que chegaram ao primeiro gol, com Ménez. Aos seis minutos, ele recebeu bom passe de Benzema, após bela jogada de Ribéry, e finalizou forte, de esquerda, sem chance para Pyatov.

Não demorou muito e a equipe do técnico Laurent Blanc ampliou. Benzema, de novo, deu linda assistência, desta vez para Cabaye, que dominou com dificuldade e conseguiu superar o goleiro ucraniano.

Em desvantagem, a Ucrânia contou com o incentivo de um estádio lotado e partiu para cima. Mas foi a França que voltou a levar perigo, novamente com Cabaye, que acertou a trave.

Sem fôlego e com o time mal organizado nas ações de ataque, os donos da casa não conseguiram reagir.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.