Franchitti vence GP de Sonoma e Briscoe lidera a F-Indy

O escocês Dario Franchitti, da Chip Ganassi, venceu o GP de Sonoma da Fórmula Indy neste domingo, mas a festa também foi do australiano Ryan Briscoe, da Penske, que chegou em segundo lugar na prova e assumiu a liderança da classificação, chegando a 497 pontos, quatro a mais que o vencedor desta etapa.

MILTON PAZZI JR., Agencia Estado

23 de agosto de 2009 | 21h33

Os dois ultrapassaram o neozelandês Scott Dixon, também da Chip Ganassi, agora terceiro na temporada e apenas o 14.º colocado neste domingo, em dia para esquecer. Atingido logo depois da largada, ainda na primeira curva, rodou e teve de fazer uma corrida de recuperação, ficando longe de um bom resultado. Agora, está com 476 pontos, 21 a menos que Briscoe.

Estes três pilotos são quem vão brigar pelo título de campeão da Fórmula Indy nas três corridas que restam, todas em circuitos ovais. O próximo GP é o de Chicago, no sábado.

Ainda na prova disputada em circuito misto, o dia foi bom para o brasileiro Mario Moraes, da KV. Ele terminou em quarto lugar e esteve bem perto do pódio, pois chegou a ser terceiro. Foi ultrapassado pelo japonês Hideki Mutoh, da Andretti Green, nas voltas finais. Na classificação, Moraes - que voltava após não correr em Mid-Ohio pela morte do pai - é o 18.º, com 213 pontos.

ACIDENTES - Logo na largada quase aconteceu um desastre pelo volume de carros envolvidos. Na curva após a segunda reta, Tony Kanaan, da Andretti Green, foi tocado e o efeito foi em cascata, sendo atingidos os norte-americanos Danica Patrick e Graham Rahal, o venezuelano EJ Viso e outros. A corrida então precisou de bandeira amarela para a limpeza da pista, por causa do trecho perigoso.

Outro envolvido em acidente foi Ryan Hunter-Reay, da Vision, que fechou a entrada da curva sem intenção e acabou atingido por Oriol Serviá, da Rahal Leterman. O norte-americano teve de parar no pit para trocar o bico, na volta 29.

O brasileiro Hélio Castroneves teve a chance de vitória prejudicada por uma disputa de posições com o compatriota Tony Kanaan na volta 55. Na chicane interna, logo após sair dos boxes, Castroneves foi fazer o contorno e Kanaan, na tentativa de ultrapassá-lo, se chocou com o piloto da Penske, que viu o carro levantar.

Na volta seguinte, posições restabelecidas: Kanaan era 11.º e Castroneves o terceiro. Ele ainda perdeu rendimento e a terceira posição para Hideki Mutoh na volta 60, na mesma chicane, e só despencou pelo problema que teve no fundo de seu carro. Na volta 66, Castroneves não teve mais o que fazer: a suspensão dianteira quebrou e ele foi direto para a terra, abandonando a corrida.

O piloto da Penske, porém, segue como o melhor brasileiro na classificação, em quarto lugar, com 371 pontos, mas com chances remotas de título. Kanaan é o sétimo, com 318. Raphael Matos, da Luczo Dragon, é o 14.º, com 252 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.