Divulgação
Divulgação

Fratus vence em revezamento e diz que não sente falta de Cielo

'A natação brasileira não se resume ao Cesar', diz Fratus

PAULO FAVERO, Estadão Conteúdo

17 Agosto 2015 | 20h49

Bruno Fratus ajudou nesta segunda-feira sua equipe do Pinheiros a chegar na frente no revezamento 4 x 50 metros livre, no Troféu José Finkel, o Campeonato Brasileiro Absoluto de Natação, que está sendo disputado no clube Pinheiros, em São Paulo. Ele vem de uma maratona de viagens e disputas, pois esteve nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, e no Mundial de Esportes Aquáticos, em Kazan.

"Não é uma situação fácil. Viemos de duas competições grandes, em continentes diferentes. Ficamos muito tempo no avião nos últimos dias", explicou. Ele não se importou com a ausência de Cesar Cielo da competição. O recordista mundial está com uma lesão no ombro e realiza fisioterapia.

"A natação brasileira não se resume ao Cesar. Não faz diferença, não sinto falta dele aqui, pois tem o Marcelo (Chierighini), o Nicholas (Santos)", disse, lembrando que ele teve pouco contato com Cielo em Kazan. "Ele estava bem quieto, se deu uns dois ''ois'' durante a competição foi muito."

Os dois atletas são os principais velocistas do Brasil e Cielo também não foi ao Pan, por opção para se preservar para o Mundial, evento no qual acabou tendo de sair antes porque sua lesão se agravou. "Até achei que estavam de sacanagem comigo quando falaram que ele tinha ido embora. Fiquei muito surpreso", afirmou.

Fratus aproveitou para elogiar Florent Manaudou, atual campeão olímpico e mundial dos 50 metros livre. "Ele é o cara a ser batido. Cumprimentei ele após a vitória. É um cara gente boa", continuou Fratus, que espera manter o ritmo para tentar uma vaga nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. "Tenho de treinar e competir, não tem o que fazer", avisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.