Frizzo é o próximo que pode se afastar do Palmeiras

Depois do vice-presidente financeiro, Walter Munhoz, e do administrativo, Edvaldo Frasson, se afastarem do Palmeiras alegando motivos particulares, outro que pode pedir nos próximos dias para deixar o cargo é o vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo. A pressão para que ele se afaste da função vem de todos os lados da diretoria.

O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2012 | 03h05

No clube, é quase unânime que a saída dele seria providencial. Tirone sabe do apelo, mas ainda tenta manter o fiel escudeiro. Mas Frizzo já foi deixado de lado. Tanto que ele nem toma mais decisões no dia a dia. Na contratação de Gilson Kleina, por exemplo, ele não teve nenhuma participação no negócio.

A ideia é que Frizzo se afastaria e Mário Giannini, vice-presidente e que comandou o futebol na Série B de 2003, assumiria o cargo até o fim do ano. Giannini nega que tenha recebido convite para mudar de função. / D.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.