Fumar na China pode sair caro

Governo cria regras rígidas contra o cigarro em locais públicos, põe 60 mil fiscais e estipula multa de até R$ 1,2 mil

O Estadao de S.Paulo

25 de abril de 2008 | 00h00

Proibição total de fumar em Pequim parece impossível, mas a cidade se esforça para assegurar um ambiente livre do tabaco nos Jogos Olímpicos, de 8 a 24 de agosto. Pelas novas regras, a partir de 1º de maio fica proibido fumar nas sedes esportivas, nos transportes públicos e nas escolas. O governo chinês punirá infratores com multas que variam de R$ 0,23 a R$ 1.186,35 por pitadinhas.A medida vale também para cinemas, museus, bibliotecas, repartições públicas e locais considerados patrimônios culturais. Serão criadas áreas para fumantes em parques, aeroportos e estações, restaurantes e hotéis.''Mas o hábito de fumar está vinculado ao estilo de vida dos chineses, e na capital há uma grande população fumante'', disse ontem Li Lingyan, vice-diretor do Escritório de Legislação de Pequim.''Em lugares como bares e cafés de internet, não podemos erradicar totalmente o tabaco. É impossível.'' Quase um quarto dos pequineses com mais de 15 anos fuma.Inicialmente, 60 mil fiscais vão trabalhar para que a lei seja cumprida. Esse número chegará a 100 mil na época dos Jogos. Gente não falta na China para executar a tarefa.TOCHA NA AUSTRÁLIAMais de 10 mil australianos de origem chinesa fizeram a maior manifestação a favor de Pequim na passagem da tocha olímpica por Camberra, lotando os 16 quilômetros do percurso pelas ruas da capital de bandeiras vermelhas. Também apareceram vários manifestantes pró-Tibete. Os dois lados se agrediram com latas e garrafas e a confusão só terminou porque a polícia teve de interferir.Um homem sentou na rua, no caminho da tocha, mas foi retirado imediatamente por policiais. Cinco manifestantes foram presos. O ex-nadador Ian Thorpe fechou o revezamento, frustrado por não ver atendido seu pedido de protesto pacífico, feito na vésperaBOICOTEO presidente francês Nicolas Sarkozy disse que pressionará a União Européia para que busque uma posição dos 27 líderes regionais a respeito do boicote à cerimônia de abertura dos Jogos. Acrescentou que a França está pedindo às autoridades chinesas para manter negociações com o líder espiritual do Tibete, dalai-lama, como prova de boa vontade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.