Furacão Neymar arrasa Botafogo

Craque do Santos precisou de 15 minutos para pulverizar time de Ribeirão Preto por 4 a 1; ele fez três gols e deu passe para Felipe Anderson fazer o quarto

DANIEL AKSTEIN BATISTA, O Estado de S.Paulo

10 de fevereiro de 2012 | 03h03

O craque Neymar voltou a mostrar ontem que o Santos depende muito de sua genialidade. Com três gols, o jovem levou o time à vitória sobre o Botafogo, por 4 a 1, na noite de ontem, em Ribeirão Preto.

E olha que Neymar passou grande parte do tempo apagado. Foi só marcar o primeiro gol, aos 31 minutos do segundo tempo, para que ele acordasse e mudasse todo o jogo.

O Santos entrou em campo sonolento, sem criação nenhuma. Neymar abusava de suas arrancadas e por duas ocasiões pediu pênalti, sem razão - em uma delas, aliás, merecia o cartão amarelo por ter se jogado na pequena área. Já Paulo Henrique Ganso esteve omisso na primeira etapa. A única boa chance alvinegra veio com Elano, que levou pela direita e chutou por cima.

Os donos da casa também não tiveram uma atuação de gala, mas souberam aproveitar os espaços deixados pelos santistas. Em um rápido contra-ataque, Alex cruzou pela esquerda, Vinícius falhou e Camilo anotou o primeiro gol, aos 36 minutos.

Muricy deve ter dado uma grande bronca nos jogadores durante o intervalo, pois o que se viu depois foi um time com mais ímpeto e vibração. O uruguaio Fucile, que será apresentado apenas hoje, ganhou vaga de Pará e logo no 1.º minuto obrigou o goleiro Juninho a trabalhar.

Mas foi Neymar quem mudou todo o panorama do jogo. Rápido, com dribles curtos, não parava de assustar os adversários. O Botafogo até que tentou se defender e jogar de igual para igual, mas no seu elenco não há ninguém habilidoso para segurar o camisa 11 santista.

Em um lance bem parecido ao do clássico de domingo contra o Palmeiras, Ganso cobrou falta direto na cabeça de Neymar, para empatar aos 31 minutos. E na sequência o jovem do cabelo espetado e colorido tratou de fazer mais uma daquelas suas jogadas de gênio e foi derrubado na área. Ele mesmo cobrou a penalidade para festejar em seguida.

Quem resolveu ir embora do estádio antes do apito final perdeu mais uma pintura de Neymar. Ele, que momentos antes havia levado uma cotovelada do goleiro Juninho e ficou jogado no chão por alguns minutos, sem conseguir respirar direito, resolveu dar o seu troco na bola, ao receber na área e com um toque sutil marcar o 3.º, aos 47. Dois minutos depois, presenteou Felipe Anderson, que também deixou a sua marca.

Empolgado. O resultado se mostra ainda mais importante pelo fato de o Santos estar a cinco dias de sua estreia na Libertadores. Na quarta-feira, começa a defender o título continental contra o The Strongest, em La Paz, na Bolívia. Antes disso, encara o Linense, domingo, em São Bernardo, na quarta partida que Muricy Ramalho contará com os chamados titulares. O saldo até agora é regular: uma vitória, um empate e uma derrota. Mas, depois do que Neymar mostrou em campo ontem, a tendência é a de melhorar, e muito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.