Futebol de Cuba tem mais dois desertores

Sem sete jogadores que abandonaram a seleção na disputa da seletiva para Pequim, time joga com apenas 10 na derrota para Honduras, ontem

O Estadao de S.Paulo

14 de março de 2008 | 00h00

A seleção cubana sub-23, que disputa o Pré-olímpico da Concacaf, perdeu ontem mais dois jogadores. No total, até agora, foi confirmada a deserção de sete atletas - cinco deles fugiram na madrugada de terça-feira, logo após a estréia contra os EUA (empate por 1 a 1). Cuba viajou para o torneio com 18 jogadores, mas restaram agora apenas 11 na delegação.O defensor Yendri Díaz e o meia Eder Roldán, ambos de 20 anos, foram os últimos a deixar a equipe. ''É triste, mas depois que os cinco primeiros se foram, a equipe se abateu totalmente'', afirmou Díaz à ESPN Internacional. ''Eu também estava decidido a abandonar a seleção, mas só no fim do torneio. Antes, queria levar Cuba à Olimpíada'', prosseguiu. Ainda ontem, meios de comunicação da Flórida afirmavam que um oitavo membro da delegação cubana teria desertado - o auxiliar Dagoberto Lara.Sem os desertores e com um atleta suspenso, o time entrou em campo contra Honduras com apenas 10, na noite de ontem, nos Estados Unidos. E acabou perdendo por 2 a 0, resultado que pôs fim ao sonho de ir à Olímpiada. O placar, no entanto, foi comemorado pela comissão técnica. O temor era de que a equipe fosse goleada pelos rivais. O primeiro gol de Honduras saiu apenas aos 24 minutos do segundo tempo.A reação de Havana diante dos acontecimentos foi dura. ''É uma atitude sem comentários, uma grande irresponsabilidade e um ato de covardia'', disse Antonio Garcés, diretor da Federação Cubana de Futebol. ''Não há moral, ética, nada.''A seleção cubana foi, até mesmo, ameaçada de ser retirada do campeonato. A Concacaf, porém, informou ontem que não há impedimentos para que a seleção permaneça na seletiva - a Fifa permite que um time entre em campo com o mínimo de sete jogadores.MIAMI, A NOVA CASA?Os cinco primeiros desertores cubanos, que deixaram a delegação na madrugada de terça, logo após o sofrido e festejado empate contra os Estados Unidos, estão próximos de conseguir uma chance no incipiente futebol profissional americano. O goleiro José Manuel Miranda, os defensores Erlys Garcia, Yenier Bermudez (capitão da equipe) e Loanni Cartaya, além do meia Yordany Alvarez, de pois de passarem a quarta-feira em Lake Worth, próximo de Palm Beach, tentam acerto com o Miami FC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.