Gabriel coloca Brasil na semifinal

Após boas defesas no tempo normal, goleiro pega 2 pênaltis e seleção elimina Espanha; agora, pega o México, na quarta

, O Estado de S.Paulo

15 de agosto de 2011 | 00h00

PEREIRA, Colômbia

Brasil e Espanha fizeram uma partida empolgante, ontem à noite, em Pereira, pelo Campeonato Mundial Sub-20, com quatro gols e várias chances desperdiçadas, mostrando o talento das duas escolas, adeptas do futebol ofensivo. A classificação para a semifinal, contra o México, veio nos pênaltis, por 4 a 2, quando brilhou a estrela do goleiro Gabriel, que defendeu as cobranças de Amat e Vásquez. Os gols brasileiros foram de Casemiro, Danilo, Henrique e Dudu. Com a bola rolando, empate por 2 a 2 - 1 a 1 no tempo normal e 1 a 1 na prorrogação.

Após pressão no início da partida, quando Gabriel já começou a chamar a atenção, o Brasil chegou ao gol num contra-ataque. Aos 34 minutos, Willian José pegou rebote em chute de Henrique e, impedido, fez 1 a 0. A vantagem surpreendente mexeu com o time espanhol, que acabou permitindo que o Brasil assumisse o controle.

No segundo tempo, porém, a Espanha voltou a mostrar sua força ofensiva e, de tanto insistir, chegou ao empate aos 11 minutos, com Rodri.

A partir daí, o jogo ficou completamente aberto, com as duas equipes buscando o gol incessantemente. Os goleiros Gabriel e Pacheco mostraram todo o seu talento, segurando o placar.

Na prorrogação, novamente o Brasil saiu na frente, com Dudu, aos 9 minutos, mas os espanhóis mais uma vez buscaram o empate, apenas dois minutos depois, com Vásquez, levando a decisão, então, para os pênaltis, quando Gabriel fez toda a diferença.

A outra partida de ontem pelas quartas de final também foi equilibrada e decidida apenas na prorrogação, com a França eliminando a Nigéria por 3 a 2. Agora, joga a semifinal contra Portugal, que bateu a Argentina nos pênaltis, no sábado (veja texto ao lado).

No tempo normal, os franceses saíram na frente com Lacazette, mas sofreram o empate no último minuto, com gol de Ejike. Na prorrogação, os franceses chegaram a fazer 3 a 1, com gols de Fofana e Lacazette, mas os nigerianos diminuíram novamente com Ejike. A reação, no entanto, parou por aí.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.