Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Gabriel Medina aprende lidar com o sucesso e até com o fracasso

Campeão mundial tem apenas 21 anos, mas já virou celebridade 

Paulo Favero, Enviado especial ao Havaí, O Estado de S. Paulo

12 de dezembro de 2015 | 18h04

Apesar dos 21 anos, Gabriel Medina já é uma celebridade no surfe. Campeão mundial muito jovem, ele atrai olhares por onde passa e mesmo no Havaí, local onde existem várias lendas da modalidade, ele é assediado e sempre que vai entrar ou sair da água, tem de parar para fotos e dar autógrafo, a menos que os seguranças proíbam as pessoas de ficarem no caminho.

Desde que conquistou o título mundial, ele passou a ter mais trabalho para ficar na rua. "A privacidade mudou. Até na hora de surfar está difícil. Em um feriado em Maresias, tinha de pensar duas vezes antes de surfar, porque tinha muita gente na praia e para chegar na água era uma luta. Mas faz parte da minha vida. Essa foi a maior mudança. Pessoas em cima, querendo foto", conta.

Ser campeão do mundo tão cedo acabou mexendo um pouco com a concentração de Medina, que teve de lidar com algumas derrotas no início da temporada. "Minha vida é formada por altos e baixos, tem de saber lidar com esses momentos de baixa, que são tristes, e na hora que vencer, precisa comemorar. É difícil, tem de aprender a entender nosso corpo e nossa mente", comenta.

Apesar da maturidade, ele sabe que não é fácil encontrar respostas para a irregularidade. "Não sei e continuo não sabendo muito o que aconteceu. Mas do mesmo jeito que treinava, continuei treinando, enfim, não mudei nada. Mas depois os resultados começaram a aparecer e isso foi muito bom", afirma o rapaz, que ainda tem chance de conquistar o bicampeonato mundial na última etapa do ano, o Billabong Pipe Masters, no Havaí.

"É normal perder algumas etapas, ainda mais em um mundo competitivo. Sempre temos vitórias e derrotas, e o começo do ano foram algumas derrotas. Falou-se muito disso porque eu vinha vencendo bastante e acharam estranho. É normal, faz parte da minha vida", conclui Medina, que aprendeu a lidar com o sucesso e o fracasso muito rapidamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.