Gabriel Medina dedica vitória na França ao avô e ainda sonha com o bicampeonato

O surfista Gabriel Medina encerrou um jejum de mais de um ano sem vencer uma etapa do Circuito Mundial de Surfe e conquistou nesta quinta-feira o título em Hossegor, na França. O evento é especial para o campeão do mundo porque foi em praias francesas que ele venceu a sua primeira etapa na elite, em 2011. Ao festejar, o brasileiro ficou bastante emocionado.

Estadão Conteúdo

15 de outubro de 2015 | 17h37

"Estou me sentindo muito bem. Treinei bastante este ano e como eu disse para o meu pai, estava com saudade de vencer um evento. Estou muito feliz e aqui na França a onda é bem parecida com a da minha casa em Maresias (SP). Há alguns meses, eu perdi meu avô e quero dedicar essa vitória a ele", afirmou o atleta, com lágrima no olhos, sobre a morte recente de Jaime Pinto, seu avô por parte de mãe.

A vitória na nona etapa do Circuito Mundial manteve Gabriel Medina na briga pelo título, apesar de que o favoritismo ainda é do líder Mick Fanning (Austrália) e do vice-líder Adriano de Souza, o Mineirinho, que vem na segunda posição. Mas se levar em conta os descartes, a distância de Medina para Fanning é de 8.000 pontos, sendo que em disputa estão ainda mais 20.000 pontos no máxima nas duas etapas restantes, em Portugal e no Havaí.

O garoto de Maresias sabe que a distância é grande, mas não é impossível de ser tirada. Na próxima etapa, em Peniche (Portugal), a partir já desta terça-feira, ele terá de ficar à frente de Fanning e Mineirinho para chegar ao Havaí com chances matemáticas de conquistar o bicampeonato. Ele sabe que é difícil, até porque os dois adversários costumam ir bem na etapa portuguesa: Fanning venceu no ano passado e Mineirinho em 2011.

Quem também ainda está vivo na briga pelo título é Filipe Toledo, que foi ultrapassado por Gabriel Medina, mas precisa das mesmas condições para chegar: torcer contra quem está acima na tabela de classificação e ir bem nos tubos de Portugal. Já Mineirinho, que ficou em terceiro lugar na França, sabe que só depende de si para conquistar o título inédito. Ele conseguiu diminuir a vantagem para Fanning para 450 pontos e tem tudo para chegar longe.

"Claro que eu queria ter vencido a etapa na França, mas foi um resultado muito bom e importante para mim em termos de campeonato, pois agora são só 450 pontos de diferença. O mar estava bem difícil e o Gabriel mereceu vencer. Agora vamos para Portugal, um lugar que gosto bastante e costumo surfar bem. Espero que isso ajude, pois será uma etapa decisiva", avisou.

Tudo o que sabemos sobre:
surfeGabriel MedinaCircuito Mundial

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.