Sloane/WSL
Sloane/WSL

Gabriel Medina e Julian Wilson avançam em Pipeline; Filipinho vai para repescagem

Início do Pipe Masters tem primeira disputa entre os concorrentes pelo título mundial de surfe

O Estado de S.Paulo

13 de dezembro de 2018 | 19h26

A disputa do título mundial de surfe da temporada teve seu primeiro round nesta quinta-feira, no Havaí, durante a disputa do Billabong Pipe Masters. Depois de dias de espera, e com condições desafiadoras do mar, o brasileiro Gabriel Medina e o australiano Julian Wilson ganharam suas baterias e avançaram diretamente para a terceira fase. Já Filipe Toledo, outro com chances de ser campeão, acabou indo para a repescagem.

Gabriel Medina teve uma ótima performance e, se os tubos eram um pouco raros, ele apostou numa combinação com aéreos para evitar qualquer risco de ficar sob pressão. No final, marcou 13,16 pontos, vencendo o havaiano Benji Brand (9,97) e o australiano Connor O'Leary (9,67). "Estou concentrado em mim mesmo e mantendo o foco. Tentei pegar o máximo de ondas, em um mar desafiador, e a meta era avançar. Estou feliz por isso", disse.

Medina comentou que o ano tem sido bom para ele, mesmo com algums desempenhos irregulares, e sua meta é o bicampeonato mundial - ele ganhou o título em 2014. "Tenho uma pequena vantagem e sei o que preciso fazer para ser campeão. Quero chegar à final e vou pensando a cada bateria. Me sinto feliz de ter tanta torcida. Eu adoro surfar com minha família me assistindo, todos estão aquo e tem muito torcedor brasileiro também", continuou.

Julian Wilson também avançou ao virar sua bateria na última onda. Ele marcou 8,07 e despachou o brasileiro Tomás Hermes (6,40) e o havaiano Seth Moniz (4,57) para a segunda fase. "O mas não estava tão grande, espero que cresça mais nos próximos dias. Sobre o título mundial, vamos deixar a bola rolar e ver o que acontece. Nós três vamos ter de fazer um grande resultado para sair daqui com o título mundial", explicou o australiano.

Com as vitórias em suas baterias, Medina e Wilson já estão na terceira fase e ganham um tempo maior de descanso em relação a Filipinho, que perdeu para o australiano Matt Wilkinson e agora terá de disputar a repescagem na segunda fase. Ele vai enfrentar o local Benji Brand e, se perder, está eliminado do Pipe Masters e fora da disputa do título mundial.

 

Em linhas gerais, Medina precisa chegar à final em Pipeline para não depender de qualquer outro resultado. Se cair na semifinal, Wilson ou Filipinho precisam vencer o Pipe Masters. Se o brasileiro cair nas quartas de final ou antes, seus rivais precisam no mínimo chegar à final da etapa para tirar o bicampeonato mundial de Medina.

RESULTADOS DA PRIMEIRA FASE:

1ª bateria:

Jordy Smith (AFS) - 12,00

Kelly Slater (EUA) - 11,43

Frederico Morais (POR) - 4,47

2ª bateria

Yago Dora (BRA) - 9,83

Owen Wright (AUS) - 9,60

Miguel Pupo (BRA) - 2,00

3ª bateria:

Italo Ferreira (BRA) - 13,30

Joan Duru (FRA) - 11,67

Keanu Asing (HAV) - 5,66

4ª bateria:

Matt Wilkinson (AUS) - 6,03

Filipe Toledo (BRA) - 5,04

Caio Ibelli (BRA) - 4,93

5ª bateria:

Julian Wilson (AUS) - 8,07

Tomas Hermes (BRA) - 6,40

Seth Moniz (HAV) - 4,57

6ª bateria:

Gabriel Medina (BRA) - 13,16

Benji Brand (HAV) - 9,97

Connor O'Leary (AUS) - 9,67

7ª bateria:

Griffin Colapinto (EUA) - 7,07

Ryan Callinan (AUS) - 6,77

Wade Carmichael (AUS) - 4,50

8ª bateria:

Michael February (AFS) - 6,30

Kanoa Igarashi (JAP) - 6,10

Sebastian Zietz (HAV) - 4,03

9ª bateria:

Michel Bourez (TAI) - 12,03

Ian Gouveia (BRA) - 12,00

Ezekiel Lau (HAV) - 10,90

10ª bateria:

Conner Coffin (EUA) - 15,07

Jeremy Flores (FRA) - 14,00

Jesse Mendes (BRA) - 9,20

11ª bateria:

Joel Parkinson (AUS) - 11,23

Kolohe Andino (EUA) - 8,10

Adrian Buchan (AUS) - 5,13

12ª bateria:

Michael Rodrigues (BRA) - 11,44

Patrick Gudauskas (EUA) - 7,60

Willian Cardoso (BRA) - 5,04

 
 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.