Reprodução
Reprodução

Gabriel Medina vibra ao surfar na piscina de ondas de Kelly Slater

Brasileiro recebe convite do 11 vezes campeão mundial e aprova instalações que podem revolucionar o esporte no futuro

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

24 de maio de 2016 | 19h27

Após participar de gravações para uma de suas patrocinadoras em Los Angeles, o surfista Gabriel Medina visitou a piscina de ondas de Kelly Slater, na Califórnia, para ver de perto o projeto do norte-americano 11 vezes campeão mundial. A KSWC (Kelly Slater Wave Company) vem chamando a atenção por conseguir produzir ondas tubulares com perfeição e bom tamanho. O brasileiro campeão mundial em 2014 festejou o momento e vibrou com a oportunidade de surfar naquelas ondas. "Obrigado Kelly por me receber no Surf Ranch. Foi irado! Muito legal surfar uma onda dos sonhos. Parece até de mentira", disse Medina.

Slater passou os últimos dez anos para efetivar esse projeto, que ele manteve em segredo. Até a localização demorou a ser divulgada. Aos poucos, ele passou a levar amigos e surfistas da elite para experimentar a onda que fica no vale central da Califórnia, em um antigo canal de esqui aquático. “Através da ciência e da tecnologia, fomos capazes de projetar e construir o que alguns diziam que era impossível”, comentou Slater ao divulgar as primeiras imagens do local.

Para os Jogos de Tóquio, em 2020, cogita-se a utilização de piscinas de ondas artificiais, que seriam construídas em arenas fechadas. O modelo que mais se aproximou da realidade é esse de Slater. O sucesso foi tão rápido que o controle principal da empresa acabou de ser adquirido pela WSL Holdings, que controla a Liga Mundial de Surfe (da sigla em inglês).

No comunicado oficial, já se vislumbra um grande passo para a formação de novos talentos no surfe. "A tecnologia revolucionária da KSWC abre inúmeras possibilidades para o futuro do esporte. A WSL e a KSWC visualizam a evolução de uma rede mundial de centros de treinamento de alta performance da marca WSL", afirmou, lembrando que isso também abre a possibilidade para transmissões televisivas com horário marcado.

"Para mim, o surfe sempre será a aventura, as viagens e o mar, mas essa onda trará novas oportunidades para o esporte, sem sacrificar o lado fundamental e de alma que nos atrai para o surfe", disse Slater. "Surfar ondas incríveis num ambiente controlado acrescenta uma nova dimensão para o nosso esporte. Não vai ter ninguém te rabeando e se estressando sobre quem pegou a melhor onda, pois todas na piscina são boas. Então todo mundo poderá relaxar, se divertir e se concentrar em como melhorar o seu próprio surfe", continuou.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.