Gaspar Nóbrega/Inovafoto
Gaspar Nóbrega/Inovafoto

Gabriela Chibana substitui Sarah Menezes e leva bronze no Chile

Judoca foi convocada para o torneio poucos dias antes de seu início

Nathalia Garcia, enviada especial, O Estado de S. Paulo

12 de março de 2014 | 20h35

SANTIAGO - Medalha de bronze nos Jogos Sul-Americanos, em Santiago, no Chile, a judoca Gabriela Chibana recebeu as notícias do corte de Sarah Menezes, que sofreu uma leve lesão nas costas, e de sua convocação poucos dias antes da disputa. Após o susto, a atleta ficou lisonjeada por entrar no tatame como representante do País na categoria até 48 kg.

Essa não foi a primeira vez que Chibana ocupou o lugar da medalhista olímpica em uma competição. Apesar da grande responsabilidade, o fato de disputar a mesma categoria que Sarah não a deixa aflita, ela acredita que isso até serve como um estímulo para evoluir. E Gabriela não tem trilhado essa caminhada sozinha.

A atleta conta com a ajuda do primo Charles, que compete na categoria até 66 kg e tem obtido bons resultados na carreira. Os dois treinam juntos desde os primeiros passos em uma academia na Vila Carrão, em São Paulo, e a relação dos dois é tão próxima que ela o considera como um irmão. "Ele está me passando experiência, está sendo muito valioso. Quando ele me vê treinando, já me dá umas dicas. É muito boa a presença dele."

E eles não são os únicos judocas da família. O esporte é tão enraizado entre os Chibanas que a casa de Gabriela tem até um tatame para os membros lutarem durante as confraternizações. Boa parte dos primos da atleta tiveram algum envolvimento com o esporte, que vai passando a cada geração. Os primos mais novos já começaram a apender a modalidade, enquanto os mais velhos pararam de praticar por causa dos estudos ou do trabalho.

Na família que respira judô, esse é um assunto constante. "A maioria passou por essa vida de judoca e, querendo ou não, é uma linguagem comum na minha família. Todo mundo, desde meus primos de sete anos até o de 30, consegue falar de judô e entender o que é. É uma coisa da nossa família."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.