Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Gafe quase estraga festa do vôlei

Uma gafe por pouco não tirou o brilho da inauguração do Centro de Desenvolvimento do Voleibol, em Saquarema, na Região dos Lagos, nesta segunda-feira. Enquanto os atletas das seleções adultas masculina e feminina eram ovacionados pelo público no palco, os jogadores do vôlei de praia assistiam a toda celebração praticamente ignorados debaixo de sol e no gramado do local.Ao final dos Jogos Pan-Americanos de São Domingos, na semana passada, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, fez algumas críticas a ausência das principais duplas do País no vôlei de praia na competição internacional. Na ocasião, cogitou a possibilidade de uma diminuição nos valores dos repasses de recursos da Lei Piva ao vôlei, por causa do "fraco desempenho" na República Dominicana. As afirmações do dirigente geraram um mal-estar entre as jogadores, que nesta segunda pareciam preferir o anonimato e boicotar a festa."No vôlei existem muitas estrelas. E, aí, escolheram aquelas para ficarem lá em cima", disse Jaqueline, medalha de ouro no vôlei de praia, nos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996. A assessoria de imprensa da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) afirmou ter convidados todos os atletas para irem ao palco. No entanto, Adriana Behar e Shelda disseram não ter sido chamadas. Já Sandra contou ter ficado "presa" enquanto cumprimentava alguns amigos.O presidente da CBV, Ari Graça, reconheceu a gafe: "eles não estavam lá? Realmente foi um erro. Nada mais. Não existe nenhuma crise". Já Nuzman, garantiu não existir "mal estar" com os atletas.Gafes à parte, o novo Centro de Treinamento do vôlei reúne todas as condições para que a hegemonia do Brasil no esporte seja perpertuada por muitos anos. Em um terreno de 108 mil m² (cedido pela prefeitura) e um investimento de cerca de R$ 5 milhões (R$ 3,8 oriundos do Governo Federal e R$ 1,2 da CBV) foi possível erguer um ginásio, o Aryzão, complexo que reúne quatro quadras de treinamento, sala de musculação e fisioterapia, três quadras de vôlei de praia, hotel, cozinha industrial, além de quadras de tênis, futebol, sauna, sala de jogos e piscina para as horas de lazer dos atletas.Além das seleções principais, também usufruirão das novas instalações as equipes de base do Brasil. Projetos sociais também serão desenvolvidos no local.O técnico da seleção masculina, Bernardinho, e os jogadores estão treinando no novo CT desde domingo. A preparação visa a disputa do Campeonato Sul-Americano, previsto para ocorrer entre os dias 3 e 6 de setembro, no Complexo Miécimo da Silva, em Campo Grande, zona oeste. A competição dará aos dois primeiros colocados o direito de disputar a Copa do Mundo, em novembro, no Japão.

Agencia Estado,

25 de agosto de 2003 | 20h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.