Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Game XP começa nesta quinta e espera levar 100 mil pessoas ao Parque Olímpico

Evento vai contar com espaço 60% maior do que o oferecido em 2018 e o número de atrações, que variam desde campeonatos até experiências em realidade virtual, dobrados

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2019 | 18h17

A sensação de se estar dentro de um grande videogame é tanta que, quando o Estado visitou o palco da Game XP, na segunda-feira, parecia estar imerso no The Sims, a famosa série de games em que o jogador faz suas próprias construções. Mas o que se via no Parque Olímpico da Barra, na verdade, eram centenas de operários trabalhando para deixar tudo pronto para o festival de games que começa nesta quinta e vai até domingo.

Lançado em 2017 como uma das atrações daquela edição do Rock in Rio, a Game XP fez tanto sucesso que, no ano passado, ganhou vida própria e fez seu primeiro voo solo. Quase 100 mil pessoas foram ao Parque Olímpico para aproveitar os últimos lançamentos dos games, acompanhar campeonatos com alguns dos principais gamers do País e, claro, jogar videogame e ter a experiência da realidade virtual. Para este ano, o público esperado é o mesmo – mas o espaço, e as atrações, são bem maiores.

“Cresceu muito. A gente não cresce em público, mas aumenta em duas horas o evento (por dia) e também aumenta a nossa área em 60%. O número de atrações foi dobrado”, conta a CEO da Game XP, Roberta Coelho. Este ano, o evento ocupará 160 mil metros quadrados no Parque Olímpico da Barra. O valor investido não é revelado, “mas é o dobro do que foi gasto no ano passado”, assegura a responsável pelo evento.

Engana-se, contudo, quem pensa que o festival é voltado apenas para os nerds. “O game XP não é só um evento de eSports (como são conhecidos os jogos eletrônicos), não é só uma feira de games e tecnologia, e também não é só um parque de diversões. É tudo isso junto dentro do mesmo evento. Hoje somos um grande parque temático inspirado no mundo dos games”, explica Roberta.

De fato, quem for ao Parque Olímpico terá diversão garantida, não importa a idade. Do Pac-Man ao Fortnite, do fliperama aos óculos de realidade virtual, ou mesmo do totó (ou pebolim) à roda-gigante, tem para todos os gostos.

“Se o filho ou mesmo os pais gostam de eSports, tem uma game arena. Se você joga videogame, quer ver os novos lançamentos, tem as arenas de gameplay. Se você quer ver o que tem de tecnologia nova em educação, cidades inteligentes, nossa vida de uma forma diferente, tem a Inova Arena. Se quiser ficar fazendo nada o dia todo, tem a nossa Rua Medieval, toda cenografada, com lojas, artistas de rua, e um novo palco de música. E tem um Beer Garden para quem é analógico, com totó, pingue-pongue”, exalta a CEO da Game XP.

A expectativa é de quem 25 mil pessoas circulem pelo Parque Olímpico em cada um dos quatro dias de evento. Os ingressos para sábado já estão esgotados.

Tudo o que sabemos sobre:
videogame

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.