Ganharia medalha mesmo sem doping, diz Marion Jones

Velocista ganhou três ouros e dois bronzes em Sydney 2000; foi presa depois de admitir substâncias proibidas

AE, Agencia Estado

29 de outubro de 2008 | 16h33

Em sua primeira entrevista desde que deixou a prisão no último dia 5 de setembro, após cumprir seis meses de pena, a ex-velocista norte-americana Marion Jones admitiu arrependimento pelo uso de doping. Mas ela também disse que ganharia as cinco medalhas olímpicas que faturou na Olimpíada de Sydney, em 2000, mesmo se não tivesse utilizado substâncias proibidas.Marion Jones foi ao programa de TV da apresentadora Oprah Winfrey, um dos mais populares dos Estados Unidos. Ela chegou a chorar durante a entrevista e revelou que não pensa mais em voltar ao atletismo. "Mas isso me deixa muito triste, pois adoro competir", disse a atleta de 33 anos.Grande estrela dos Jogos de Sydney, em 2000, quando ganhou três medalhas de ouro e duas de bronze, Marion Jones confessou no ano passado que tinha competido dopada - não foi flagrada nos exames da época. Por conta disso, teve que devolver as cinco medalhas olímpicas e teve seus resultados apagados da história daquela Olimpíada.A confissão do uso de doping também lhe rendeu a condenação de seis meses de prisão nos Estados Unidos, porque tinha mentido anteriormente sobre o assunto numa investigação da promotoria federal. "Cometi um erro horrível, mas acredito que fiz isso por não ter o amor próprio suficiente para dizer a verdade", explicou.Durante a entrevista, Marion Jones contou que refaz em sua cabeça as provas que disputou e se pergunta se ganharia mesmo sem o doping. "Respondo que sim. Ainda acho que teria vencido", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoMarion JonesSydney 2000

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.