Ganso e Lucas chegam a Londres como coadjuvantes de luxo

Cobiçada por grandes clubes europeus, dupla pode roubar a cena na Olimpíada e garantir vaga na seleção principal

O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2012 | 03h10

A seleção olímpica do País desembarcará em Londres com Neymar como estrela principal, mas dois coadjuvantes vão tentar roubar a cena. Antes de sofrer com lesões, Paulo Henrique Ganso chegou a desbancar o amigo quando os dois surgiram no Santos, há quase três anos. E Lucas, com atuação de gala, ofuscou Neymar na decisão do Sul-Americano Sub-20, no ano passado.

Apontado até mesmo por Mano Menezes como dono da camisa 10 do Brasil para os próximos anos, Ganso terá o desafio de ser o maestro da seleção. No Santos, amadureceu mais cedo do que Neymar e foi apontado como principal responsável pelo primeiro título dos dois pelo time da Vila, no Estadual de 2010.

Duas lesões sérias e divergências contratuais com a diretoria santista, porém, deixaram o meia em segundo plano, enquanto Neymar brilhava sozinho. Jogando pela seleção, ele tampouco conseguiu repetir até agora as atuações exuberantes de seus primeiros anos no Santos.

No São Paulo, Lucas tem sido capaz de decidir sozinho algumas partidas. Rápido e com um chute potente, o atacante foi lançado no time profissional no segundo semestre de 2010 e desde então se firmou como titular absoluto do time do Morumbi.

Despertou a atenção dos clubes europeus no Sul-Americano Sub-20, no Peru, quando conseguiu algo improvável: tomou o protagonismo de Neymar. Na goleada por 6 a 0 sobre o Uruguai na decisão, marcou três lindos gols e garantiu o título. Desde então passou a ser alvo de assédio de clubes como a Inter de Milão e o Chelsea. Caso arrebente em Londres, será difícil para o São Paulo segurá-lo no País. / B.D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.