Ganso recua e nega que tenha fechado venda para a DIS

Paulo Henrique Ganso não vive mesmo um bom momento no Santos. Após sofrer com lesões na temporada, o meia foi o único jogador ontem a receber algumas vaias de torcedores na chegada do time ao País, por conta da indefinição sobre seu futuro na Vila Belmiro. Na chegada a Santos, o meia ainda recuou em suas declarações, dizendo que a venda de mais 10% de seus direitos econômicos à DIS ainda não está totalmente concluída.

O Estado de S.Paulo

21 de dezembro de 2011 | 03h04

Esta transação deu o que falar no Japão. O próprio jogador havia confirmado a venda, enquanto a diretoria dizia nada saber. Agora, Ganso mudou suas palavras. "Não houve uma venda, foi um pré-acerto e agora vamos sentar com o Santos e conversar. Mas só em janeiro", declarou o camisa 10 santista, ressaltando que dará prioridade ao clube na compra dos 10%, pelo valor de R$ 5 milhões. "Ainda temos algumas coisas para acertar."

Há mais de 10 dias, Ganso havia dito no Japão que já tinha acertado tudo com a DIS, que passaria a ter, então, 55% dos direitos do atleta, contra 45% do Santos. O jogador contou ainda que havia comunicado anteriormente o clube, que preferiu não exercer seu direito de compra.

O ano de Ganso no Santos termina sem brilho. Além de ter sido hostilizado por alguns torcedores ontem no aeroporto, que o acusam de ter feito um Mundial apagado, ele ficou boa parte da viagem de volta ao País isolado do resto do grupo, sempre quieto e com semblante fechado. / D.A.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.