Gaúcho de 21 anos dá pinta de que pode chegar à F-1

Cesar Ramos foi um dos dois brasileiros que conquistaram título no exterior em 2010: campeão da F-3 italiana

Livio Oricchio, O Estado de S.Paulo

24 de dezembro de 2010 | 00h00

Ao lado do paulista João Paulo de Oliveira, campeão da Fórmula Nippon, o gaúcho Cesar Ramos, 21 anos, foi o outro brasileiro campeão com monopostos no exterior este ano. Conquistou o Campeonato Italiano de Fórmula 3. E dá mostras de poder crescer muito no automobilismo. "Em 2011 vou disputar a Renault World Series, opção mais válida, em princípio, que a GP2", disse o piloto ao Estado.

Com a equipe BVM, participou das 16 etapas da conceituada Fórmula 3 italiana e venceu 3, largou 2 vezes na pole position e estabeleceu 7 melhores voltas, chegando ao pódio em 8 oportunidades. "A edição deste ano do campeonato foi muito boa porque a Ferrari passou a oferecer um teste de Fórmula 1 para o campeão", explica Ramos. Os grids tiveram sempre no mínimo 26 carros, o que reforça a importância da conquista desse gaúcho de Novo Hamburgo. O teste foi realizado no dia 2 de dezembro no circuito de Vallelunga, na Itália. "O carro é incrível, tudo proporcional, potência, aerodinâmica, pneus, freios."

A categoria que Ramos vai correr, agora, representa um estágio bem mais avançado. O chassi é Dallara, com efeito-solo, que gera elevada pressão aerodinâmica, e motor Renault 3.5 V-6 de 480 cavalos. Mais: freios de carbono e câmbio com acionamento através de manetes, atrás do volante, ambos como na Fórmula 1. "O Robert Kubica e o Sebastian Vettel não correram na GP2, mas na Renault World Series", comenta Ramos. Kubica, hoje na Lotus Renault da Fórmula 1, foi campeão em 2005 e Vettel, atual campeão do mundo, disputou 7 etapas, em 2007, antes de estrear na Fórmula 1, na equipe BMW, no GP dos EUA.

"Estou conversando com as melhores equipes na Renault World Series. O objetivo é disputar o título já na temporada de estreia", afirma Ramos. Os três melhores times da categoria são Carlin, do campeão de 2010, o russo Mikhail Aleshin, Tech 1, do vice, o australiano Daniel Ricciardo, e ISR, do terceiro colocado, o argentino Esteban Guerrieri. "A sequência de minha carreira dependerá dos resultados em 2011", diz Cesar, que não hesita em afirmar: "Minha meta é, claro, a F-1."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.