Geisa Arcanjo fica em oitavo lugar no arremesso de peso

A brasileira Geisa Arcanjo terminou em oitavo lugar a disputa do arremesso de peso nos Jogos de Londres, em prova realizada nesta segunda-feira no Estádio Olímpico. Para isso, ela atingiu 19,02 metros na sua melhor tentativa na final da Olimpíada. Esta é a melhor marca da sua carreira.

AE, Agência Estado

06 de agosto de 2012 | 16h55

"Foi uma ótima participação, estar entre as oito foi o que eu vim buscar. É o momento mais emocionante da minha vida, melhor do que qualquer título que já conquistei", disse Geisa, de apenas 20 anos, que foi campeã juvenil há dois anos, em entrevista ao SporTV, após encerrar a sua participação na prova.

Mais cedo, mas também nesta segunda-feira, Geisa se classificou para a final ao obter a 11ª das 12 vagas, com a marca de 18,47 metros. Na decisão, a brasileira alcançou 18,27 metros na sua primeira tentativa, "queimou" o segundo e alcançou 19,02 metros no terceiro.

Esta última tentativa garantiu a classificação de Geisa para a fase final, quando apenas oito atletas competiram. Nos últimos três arremessos, a brasileira não se saiu bem. Ela "queimou" duas tentativas e na terceira alcançou apenas 17,19 metros. Assim, ficou na oitava colocação.

Após a disputa, Geisa admitiu que se desconcentrou após se garantir entre as oito primeiras. "Meu objetivo era ficar entre as oito e vi que conseguir superar a menina que estava em oitavo por 2 centímetros (a russa Irina Tarasova). Nem acreditei. Depois, no decorrer da prova, nem sabia o que fazer", comentou.

Com desempenho expressivo em Londres e apenas 20 anos, Geisa parece ser uma esperança brasileira para a Olimpíada do Rio, em 2016. Mas a atleta evita projetar o futuro. "Ainda é muito cedo pra falar. Tem vários mundiais pela frente e o Pan antes da Olimpíada. Tenho que continuar nessa progressão com o meu treinador", disse.

Campeã mundial em 2005, a bielo-russa Nadzeya Ostapchuk venceu a disputa do arremesso de peso ao alcançar 21,36 metros na sua melhor tentativa. Assim, ela superou Valerie Adams, que precisou se contentar com a prata. A neozelandesa era a atual campeã olímpica e mundial, mas alcançou apenas 20,70 metros. Já a russa Evgeniia Kolodko ficou na terceira colocação com a marca de 20,48 metros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.