Thomas Samson/AFP
Thomas Samson/AFP

Geraint Thomas confirma título da Volta da França: 'Sensação de estar flutuando'

Britânico termina prova tradicional com o tempo de 83h17min13s

Estadão Conteúdo

29 de julho de 2018 | 16h04

A última etapa da Volta da França, tradicionalmente, é apenas comemorativa. Os ciclistas fazem juntos o percurso de 116 quilômetros entre Houilles e Paris. A disputa fica para as voltas finais em torno da Champs-Élysées, que acaba não alterando a classificação geral.

+ Brasileiro repete pódio em Andorra e continua em 2º do mundo no mountain bike

O britânico Geraint Thomas fechou o último trajeto longe da briga pelos primeiros lugares para não correr o risco de sofrer uma queda e não cruzar a linha de chegada. Sem pressa, ele terminou em 67º e garantiu o título da prova mais tradicional do ciclismo.

Thomas, que competiu pela equipe Sky, foi o detentor final da camiseta amarela, que é dada ao ciclista que possui o menor somatório de tempo. No total, ele acumulou 83h17min13. Ficou 1min51 à frente do holandês Tom Dumoulin, da Sunweb, e 2min24 do tetracampeão Chris Froome, que também é da Sky, e completou o pódio.

"É incrível. Vai demorar um tempo para assimilar o que aconteceu. Nas últimas voltas, tinha a sensação de estar flutuando. Ver o apoio dos torcedores com bandeiras britânicas e galesas...", disse em tom emocionado.

"Parece irreal. É a Volta da França. Ficar com a camiseta amarela é um sonho. Com os companheiros de equipe nos mantivemos unidos em alguns momentos difíceis. E assim conseguimos ser muito mais fortes", destacou.

O resultado manteve também a hegemonia britânica na competição. Foi a sexta conquista nos últimos sete anos do país na Volta da França. Chris Froome venceu quatro vezes (2017, 2016, 2015 e 2013). Bradley Wiggins faturou em 2012. O único a quebrar a hegemonia da Grã-Bretanha nesse período foi o italiano Vincenzo Nibali, que ficou com a taça em 2014.

A etapa deste domingo teve vitória do norueguês Alexander Kristoff no sprint final. Ele terminou apenas uma roda na frente do alemão John Degenkolb, o segundo colocado. O francês Arnaud Demare completou o pódio.

OUTROS PRÊMIOS

Apesar de a Volta da França ter a camiseta amarela como o troféu mais cobiçado, a competição também tem outros vencedores. Por exemplo, o eslovaco Peter Sagan encerrou a disputa com a camiseta verde, que é entregue ao ciclista que mais somou pontos durante a disputa. Ele chegou a 477 pontos, quase o dobro do segundo colocado, o norueguês Alexander Kristoff, que somou 246.

A equipe que fechou a competição com o menor somatório de tempo foi a Movistar, com um total de 250h24min53. A Bahrain-Mérida ficou em segundo lugar e a Sky foi a terceira colocada.

A camisa quadriculada, entregue ao melhor escalador, aquele que se destaca nas subidas, ficou com o francês Julian Alaphilippe. Seu compatriota Warrien Barguil terminou em segundo lugar e o polonês fechou esse pódio. Geraint Thomas foi o quarto nesse quesito.

O melhor estreante, que termina com a camiseta branca, foi o francês Pierre Roger Latour, com o colombiano Egan Bernal Gomez em segundo e o francês Guillaume Martin em terceiro. O mais combativo, que fica com a camiseta branca e vermelha foi o irlandês Daniel Martin.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.