Giants vence o Rangers por 11 a 7 no jogo 1 da World Series do beisebol

Batalha dos arremessadores Lincecum e Lee se transforma no show dos rebatedores

ALAN RAFAEL VILLAVERDE, estadão.com.br

28 de outubro de 2010 | 01h46

Giants. Freddy Sanchez teve quatro acertos em cinco tentativas (três rebatidas duplas), impulsionando três corridas

SÃO FRANCISCO, Estados Unidos - O que fazer diante de um dos arremessadores mais dominantes dos últimos tempos, com sete vitórias e nenhuma derrota em oito jogos de pós-temporada, com a média de apenas 0,75 corridas cedidas? Simples, encará-lo com muito estudo e paciência, e foi isso que o San Francisco Giants fez na noite desta quarta-feira ao vencer Cliff Lee e o Texas Rangers por 11 a 7, no AT&T Park, em São Francisco, na primeira partida da série melhor de sete da 106.ª World Series de beisebol.

Veja também:

blog BATE-PRONTO - Imagens e detalhes da World Series

O resultado é inesperado, já que a tendência do confronto entre Tim Lincecum - conhecido como The Freak (o incomum) – e Cliff Lee era de um espetáculo com poucas corridas, mas foi um show de rebatidas válidas, com 14 para o Giants, e 11 para o Rangers.

E o ataque do Rangers funcionou primeiro. Elvis Andrus marcou na primeira entrada, e Bengie Molina na segunda, abrindo boa vantagem de 2 a 0, o que parecia suficiente para desestabilizar o adversário e dar tranqüilidade para Lee trabalhar no montinho.

O Giants, no entanto, tinha outra idéia, e a reação começou na terceira entrada com um erro de defesa do terceira-base Michael Young, fazendo o veterano Edgar Renteria chegar à primeira base. Depois, Andres Torres foi atingido por um arremesso, e uma rebatida dupla de Freddy Sanchez abriu o placar para a equipe de São Francisco, que empatou logo em seguida, com uma rebatida simples do novato Buster Posey.

Depois de uma quarta entrada sem sustos, Cliff Lee desceu do céu ao inferno na quinta. O arremessador cedeu quatro rebatidas e andou um rebatedor, cedendo três corridas e deixando dois jogadores nas bases, selando sua saída da partida. Para piorar a situação do Rangers, o arremessador Darren O’Day viu Juan Uribe acertar um homerun de três corridas, colocando o Giants com seis corridas de vantagem (8 a 2).

O Rangers esboçou uma reação na entrada seguinte, com mais duas corridas, fazendo o astro da equipe rival, Tim Lincecum, ser substituído. Daí em diante, o banco de reservas de arremessadores da equipe de São Francisco tomou conta da partida, e os jogadores do Rangers, abatidos, cometeram erros básicos, cedendo mais duas corridas, e se recuperaram apenas na última entrada, com mais três corridas, mas não foi o suficiente para tirar do Giants o primeiro triunfo da World Series.

O jogo número 2 acontece nesta quinta-feira, às 21h57 (de Brasília), novamente no AT&T Park. Depois, a série vai para Arlington, casa do Rangers, para os jogos 3, 4 e 5 (este, se for necessário).

Notas. Nas últimas 13 World Series, a equipe que venceu o primeiro jogo ficou com o título em 11 ocasiões ++++ Cliff Lee arremessou no jogo 1 de uma World Series pela segunda vez. A primeira foi justamente na final do ano passado, quando, pelo Philadelphia Phillies, venceu o New York Yankees. O título, no entanto, ficou com a equipe de Nova York ++++ O Giants nunca conquistou uma World Series depois que saiu de Nova York para jogar em São Francisco, em 1958. Esta é a quarta vez, jogando na Califórnia, que a equipe está na final. A última foi em 2002.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.