Giba mostra desconforto com volta de Ricardinho

Giba mostra desconforto com volta de Ricardinho

Astro faz questão de dizer que não participou da decisão de Bernardinho. 'Temos de ver sua vontade de se ajustar ao grupo'

Valéria Zukeran, O Estadao de S.Paulo

25 de março de 2010 | 00h00

A volta do levantador Ricardinho à seleção brasileira pode não ser tão tranquila como se poderia imaginar. Ontem, o ponta Giba divulgou uma nota sobre o assunto e deixou claro que seu desconforto com o ex-colega de seleção ainda não foi superado. "Sou um dos mais experientes, estou no grupo desde o começo e passei por tudo o que aconteceu. Por isso, ao lado do Rodrigão, do Murilo e do Serginho, conversamos com o Bernardinho antes da pré-convocação (para a Liga Mundial)", contou Giba. "Mas sou um jogador como o Ricardinho ou qualquer outro. A gente não tem poder de decisão. Quem decide é o Bernardo", afirmou o ponta em comunicado, deixando nas entrelinhas que a decisão do treinador pode não ter sido unânime.

O Estado tentou falar com o ponta, mas ele disse estar proibido por seu time, o Pinheiros/Sky, de se pronunciar publicamente além do que divulgou por escrito. "Preciso me concentrar na Superliga. Estamos perto dos playoffs", justificou.

Giba afirmou que Ricardinho o procurou. "Ele tentou me ligar algumas vezes na sexta e no sábado, mas estávamos vivendo dias corridos por causa da Superliga. Jogamos na quinta e no sábado e não podia responder."

Depois disso, contou o ponta, os telefonemas cessaram. "Ele passou muito tempo isolado. Preciso refletir e pensar também antes de responder às suas ligações. É um direito que tenho, não é?"

O ponta não desdenha da qualidade do ex-colega e usa o plural para falar de reaproximação. "Não tenho dúvidas sobre a capacidade técnica do Ricardinho e o que ele vai somar na seleção brasileira. Mas precisamos ver a vontade dele de se ajustar ao grupo. Ele precisa demonstrar o real interesse de voltar. Após três anos se isolando, se ele não demonstrar isso, fica difícil convencer."

Ressentimento. Ricardinho e Giba eram amigos dentro e fora das quadras. Os problemas começaram quando o levantador foi cortado por Bernardinho às vésperas do Pan do Rio. Ele esperava contar com o apoio do colega, o que não ocorreu, e expressou sua mágoa publicamente em uma entrevista à revista UM.

"No começo foi a pessoa que me deixou mais chateado, mas agora, com calma, entendo que essa é a personalidade dele, em cima do muro", relatou à publicação. "Não poderia esperar do Giba essa reação, porque não é o jeito dele. Ele não era o amigo que eu pensava que fosse. Irmão e amigo são coisas completamente diferentes e, se um dia jogarmos juntos, será profissional." Giba, aparentemente, não esqueceu as duras palavras proferidas pelo colega, que terá de lutar para readquirir sua confiança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.