Marcio Fernandes/ Estadão
Marcio Fernandes/ Estadão

Gideoni avança em 2º à ultima prova do Ominum do ciclismo

Brasileiro está a 8 pontos do 3º colocado

Estadão Conteúdo

17 de julho de 2015 | 14h37

O brasileiro Gideoni Monteiro tem tudo para garantir mais uma medalha para o Brasil no ciclismo de pista na noite desta sexta-feira. Afinal, após cinco provas do Omnium, ele é o segundo colocado, com oito pontos de folga para o quarto lugar, faltando apenas uma das seis etapas da competição para ser disputada.

O Omnium é a prova combinada do ciclismo de pista, tendo ingressado no programa olímpico em substituição a três outras. Vence o ciclista mais completo, que soma mais pontos na soma das seis etapas: contrarrelógio, eliminação, perseguição, stracht, volta lançada e corrida por pontos.

A liderança, até aqui, é do colombiano Fernando Gavira Rendon, com 184 pontos, contra 174 de Gideoni. Em terceiro vem o canadense Rémi Pelletier (172), seguido do argentino Mauro Richeze (166).

O brasileiro precisa de um quarto lugar na prova por pontos para garantir a medalha. A competição é complicada de ser entendida pelos leigos. São 40 quilômetros percorridos (120 ou 160 voltas, dependendo do tamanho da velódromo) e a cada dez voltas é disputada uma corrida, que dá pontos aos quatro primeiros colocados. É uma competição estratégia.

MAIS CHANCES DE MEDALHAS

Na prova de velocidade, são dois brasileiros nas quartas de final, cujas disputadas começam às 19h05. Flávio Cipriano avançou direto das oitavas, depois que o canadense Hugo Barrette foi eliminado. Kacio Fonseca, por sua vez, perdeu nas oitavas para Hersony Canelon, da Venezuela, mas se recuperou na repescagem, deixando para trás um colombiano e um argentino.

Existe também a possibilidade de medalha com Alice Leite, que avançou à final do keirin ao ser a terceira colocada da sua bateria. Assim, está entre as seis ciclistas que vão participar da disputa pela medalha nesta prova de 2 quilômetros. Uma bicicleta motorizada puxa o ritmo e sai da frente das ciclistas nos últimos 600 metros, para que ela decidam quem será a campeã.

Gabriela Yumi é a atual vice-campeã do Campeonato Pan-Americano, mas sentiu um mal súbito durante os treinos, já em Toronto, foi diagnosticada com apendicite, e acabou cortada da competição. A canadense Monique Sullivan, finalista olímpica, foi a única a superá-la no Campeonato Pan-Americano e é novamente favorita no Pan.

O Brasil já ganhou uma medalha no ciclismo de pista, com a equipe masculina de velocidade, que ganhou o bronze na quinta-feira. Desde os Jogos de Mar del Plata, em 1995, o País não ia ao pódio nesta disciplina do ciclismo.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-Americanosciclismo de pista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.