Ginásio do Ibirapuera quase em ordem para receber ginastas

No alto do Ginásio do Ibirapuera, dois alpinistas de macacão amarelo se esforçam para vedar os buracos do telhado do ginásio em que será a final da Copa do Mundo de Ginástica Artística, no fim de semana. Tudo para evitar que as goteiras voltem a atrapalhar os atletas, como aconteceu durante o Mundial de Basquete Feminino, realizado em setembro. Para sanar o problema da água que caía da cúpula do teto, a Secretaria do Estado da Juventude, Esporte e Lazer do Governo do estado de São Paulo gastou R$ 174 mil. Desta vez, o Governo está sendo auxiliado pela Confederação Brasileira de Ginástica que assumiu as despesas do serviço complementar para vedar os buracos da área das arquibancadas. São mais de 15 buracos aparentes. ?Esse serviço é pago pela Confederação. Algo em torno de R$ 9 mil?, afirmou Antônio de Alcântara Machado Rudge, secretário do Estado da Juventude, Esportes e Lazer. Os buracos são vedados com pastas com produto que lembra o silicone, de acordo com um dos alpinistas.A competição reunirá os oito melhores atletas do mundo em cada aparelho. O Brasil será representado em seis finais por quatro atletas: Daiane dos Santos, Laís Souza, Daniele e Diego Hypólito. Os brasileiros chegam nesta terça-feira e já treinam no período da tarde. Diego se junta ao grupo na quarta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.