Ginásio, enfim, deve ser fechado para reforma

A imagem do Ginásio Geraldo José Almeida, lotado, como ocorreu ontem, na final da Superliga Feminina de Vôlei, vai demorar um pouco para voltar a acontecer. A administração do Conjunto Desportivo Constâncio Vaz Guimarães, do qual o ginásio faz parte, espera que as reformas de modernização do espaço finalmente comecem. O prazo máximo, segundo o administrador Eduardo Anastasi, é de 10 dias. A partir daí, serão estimados 16 meses de obras.

Amanda Romanelli, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2010 | 00h00

O investimento de R$ 33 milhões já está previsto no orçamento estadual desde 2008. O edital de licitação foi lançado no fim de 2009 e a abertura dos envelopes com as propostas ocorreu em 10 de fevereiro. A demora para a definição do início da reforma deve-se a uma contestação do resultado final da concorrência. "Essa contestação foi enviada aos procuradores do Estado, que já responderam as dúvidas. As obras devem começar em breve, entre 7 e 10 dias"", afirmou Anastasi.

A empresa que venceu a licitação apresentou preço de R$ 26 milhões e tem a possibilidade de aditar o contrato em 50%.

As intervenções começam em várias frentes. As prioridades são o ginásio do Ibirapuera, o estádio de atletismo Ícaro de Castro Mello, o conjunto aquático Caio Pompeu de Toledo e o ginásio poliesportivo Mauro Pinheiro. O ginásio passará por completa modernização, a começar pelo problemático telhado ? são vivas as lembranças do Mundial Feminino de Basquete, em 2006, com goteiras que faziam a água da chuva pingar na quadra.

"Vamos mexer em tudo. No telhado, a ideia é usar um sistema alemão, uma manta que resolverá o problema das goteiras"", diz Anastasi. "Vamos melhorar o isolamento térmico e acústico - a intenção é colocar vaporizadores de água, para baixar a temperatura interna entre 10 e 12º C, além de fazer reformas no vestiário, trocar as cadeiras e dar total acessibilidade.""

Apesar da necessidade de reformas, o ginásio tem sido ocupado regularmente ? Roberto Carlos fez uma série de shows e o local recebeu jogos da Liga Mundial de Vôlei, com a seleção masculina, no ano passado. Este ano, o Ibirapuera havia sido designado para receber duelos do Grand Prix, com a seleção feminina de vôlei, em agosto. "Mas eu não tinha condições de garantir a segurança do público, por causa das reformas."" Assim, os jogos foram transferidos para São Carlos, no interior paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.