Brendan McDermid/Reuters
Brendan McDermid/Reuters

AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Ginasta americano relata abusos de ex-dirigente da federação

Andrew Fuller faz denúncia uma semana depois da condenação do ex-médico da Federação de Ginástica dos EUA

O Estado de S.Paulo

30 Janeiro 2018 | 16h31

O ginasta Andrew Fuller revelou nas redes sociais que sofreu abusos de um dirigente da Federação de Ginástica dos Estados Unidos. A afirmação foi feita uma semana depois de o médico da entidade, Larry Nassar, ser condenado a pena mínima de 40 anos de prisão e máxima de 175 por abusar de mais de 100 jovens atletas, entre elas a campeã olímpica Simone Biles.

+ Médico é condenado a até 175 anos de prisão após abusar de ginastas

Por meio de uma mensagem no Twitter, ele acusa George Drew, diretor dos programas de ginástica de trampolim da federação entre 2015 e 2017, de submetê-lo a vários tipos de humilhação quando foi recrutado para treinar e viver com ele, em Michigan.

Quando pensou em denunciar o abusador, o ginasta afirma que se sentiu “ainda mais traumatizado pelo sistema”, pois teria que conviver com o estigma de ser uma "vítima masculina". No relato, Fuller ainda revelou que, em uma ocasião, foi drogado e, quando acordou, descobriu que havia sido tatuado sem consentimento.

Segundo o ginasta, Drew, a quem devia chamar de “papai”, obrigava o ginasta a tomar pastilhas e o chamava de “retardado”. Além disso, fazia com que o jovem saísse de casa de madrugada para recolher lenha.

O diretor deixou o cargo na federação no ano passado, mas, segundo Fuller, ainda recebe muitos atletas em casa.

Fuller é a primeira vítima masculina a se pronunciar publicamente após o escândalo protagonizado pelo ex-médico Larry Nassar.

Depois de sete dias de depoimentos de suas vítimas de abuso sexual, o ex-médico americano recebeu nesta quarta-feira a sentença referente a sete dos seus crimes cometidos em Michigan. A juíza Rosemarie Aquilina cumpriu o prometido às sobreviventes que compartilharam suas histórias e deu a pena para Nassar: entre 40 e 175 anos de prisão. 

Nassar, de 54 anos, já estava cumprindo 60 anos de prisão por pornografia infantil. Ele se declarou culpado por molestar de sete mulheres no Condado de Ingham e três no de Eaton. Ele foi condenado por esses crimes, mas todas as vítimas de Nassar ganharam voz no tribunal. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.