Ginasta tenta dar a volta por cima

Há um ano, na Olimpíada de Sydney/2000, Andreea Raducan jurou nunca mais confiar em um adulto. Ela teve confiscada sua medalha de ouro individual por aparelhos e se tornou a personagem principal de um escândalo de doping que lhe rendeu suspensão. Agora, a ginasta romena corre atrás do ouro novamente neste Mundial de Ginástica Olímpica em Ghent, na Bélgica, que começou no sábado."Sou uma outra Andreea", diz a garota de 18 anos que lembra de "um ano muito difícil". Em Sydney, tinha 16, mostrava talento e alegria que lembravam sua compatriota romena Nadia Comaneci. Virou uma figura trágica. Os médicos da delegação disseram que o doping positivo de Raducan era de Nurofen, para gripe.A atleta devolveu a medalha de sua vida. "Eu não fiz nada. Não foi justo me tirarem a medalha", ainda lamenta Raducan. Mas sabe que de nada adianta. "Apenas aconteceu e tenho de viver com isso." Para ela, medalhas neste Mundial ajudarão a cicatrizar feridas.A equipe romena briga por seu quinto título e Raducan passou de caçula protegida a líder do jovem grupo. "Tenho de manter os corações juntos", diz ela, sem acreditar tanto em sua influência, pelo menos até o fim da competição, "quando aí se verá se sou líder".

Agencia Estado,

30 de outubro de 2001 | 22h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.