Ginástica: Maíra e Bruna sonham alto

As ginastas paulistas Maíra dos Santos e Bruna Perandré, da Associação Atlética Guaru (Guarulhos) estão radiantes. No fim de semana, elas passaram na ?peneira? da Confederação Brasileira de Ginástica e integrarão a equipe permanente, em Curitiba, a partir de sábado. O técnico russo da Guaru, Vladimir Cheiko também está de malas prontas e se juntará a comissão técnica, comandada pelo "amigo" ucraniano Oleg Ostapenko. Das 28 atletas que fizeram o teste, 11 treinarão com Daiane dos Santos, Camila Comin, Laís Souza, Daniele Hypólito, Ana Paula Rodrigues e Merly de Jesus. Maíra, de 13 anos, é a caçula do grupo. Natural de Presidente Prudente, ela começou na ginástica com o empurrão da mãe (Sônia), empregada doméstica. "Minha mãe via as meninas de colant e fivelinhas e achava lindo. Quando tinha cinco anos minha ela me levou ao ginásio da prefeitura de lá." Dois anos depois, o centro esportivo no qual ela treinava encerrou suas atividades. Ela ficou parada alguns meses e conseguiu uma vaga no Tênis Clube, mas como não era sócia, não pode mais treinar lá. Foi um ex-técnico (Cláudio) que a trouxe para São Paulo quando ela tinha nove anos. "Ele era policial em Guarulhos e me apresentou a equipe de ginástica da Guaru", conta Maíra. Mudou-se para São Paulo acompanhada da mãe, com quem morou quatro meses no alojamento da Associação até receber ajuda de custo. Hoje, paga o aluguel de uma casa onde mora com o pai (José Carlos) que é pintor, e a irmã. Em 2003, foi campeã paulista e brasileira infantil no individual geral. Em Curitiba, treinará duro para realizar o grande sonho de chegar a Olimpíada. Especialista na trave, Maíra estava bem tranqüila no teste. Isso porque está voltando de uma lesão no joelho (esquerdo) e foi sem muita cobrança. "Fiz a inscrição porque não podia perder a chance. Não imaginava que seria escolhida!" conta a garota. A mãe cuidará da casa das meninas. Bruna, de 15 anos é de Bauru. Começou na ginástica aos 8, porque falavam que ela "tinha corpo para ginástica." Aos 12, veio a São Paulo à convite da Guaru. No ano passado, foi campeã brasileira juvenil nas assimétricas. Mas Vladimir aposta no salto sobre o cavalo e no solo: "Ela é muito forte."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.