Ginástica recebe apoio internacional

Tratamento diferenciado no exterior e a possibilidade de treinar em aparelhos iguais aos usados pelas melhores seleções do mundo são os resultados mais concretos do desempenho da seleção brasileira de ginástica artística no Mundial da Bélgica, no último fim de semana. Foi preciso Daniele Hypólito conquistar a medalha de prata no solo e o quarto lugar geral individual, Daiane dos Santos ser a quinta colocada no geral e o Brasil, o 11.º por equipes - tudo fruto do esforço de meia dúzia de pessoas que se dedicam à ginástica - para que o esporte fosse notado. Leia mais no O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.