Giovane admite continuar no vôlei

Enquanto Nalbert comemora o adiamento da aposentadoria no vôlei de quadra - disputa, pelo menos, três jogos mais na semifinal da Superliga -, Giovane já está em férias e pensando se vai abandonar o esporte. O bicampeão olímpico de 34 anos disse após os Jogos de Atenas que pensava em se aposentar e ajudar a seleção brasileira apenas como assistente. Mas, por enquanto, vai descansar ao lado da esposa Priscila, que está grávida de um mês.A Unisul, de Giovane, foi eliminada nas quartas-de-final da Superliga justamente para o Banespa, de Nalbert - este, sim, já confirmou que vai para o vôlei de praia. No terceiro e último jogo da série, na noite de quarta-feira, a vitória da equipe paulista foi por 3 sets a 2."Da maneira como a Superliga terminou dá vontade de continuar jogando. É muito ruim terminar perdendo. Ainda não conversei com o pessoal, mas eu gostaria muito de continuar em Florianópolis. Estão acontecendo inúmeros fatores para que eu não pare de jogar", admitiu Giovane.Com proposta para jogar na Grécia, Giovane pretende esquecer o vôlei por um tempo. "Quero tirar férias de verdade, durante o tempo que eu quiser. Depois, fazer um trabalho físico legal e ver se volto a jogar.Eu nunca tive isso. Depois da Olimpíada de Atenas eu não consegui descansar", revelou.Outro assunto em que Giovane precisa pensar é a seleção brasileira. Ele disse que não volta a defender a equipe, mas tem vontade em ajudar fora da quadra. "Quero conversar com o Bernardo (técnico do time), mas agora não é o momento", explicou.Nalbert - Com 31 anos, o único título que falta ao capitão do Banespa é o da Superliga. "Isso me motiva demais", garantiu o campeão olímpico e mundial com a seleção brasileira, que jogou no sacrifício na quarta-feira à foite. "Torci o pé esquerdo no treino de segunda. Joguei meio com bandagem na mão, tornozelo torcido, joelho machucado, bursite no ombro... mas eu jogo na adrenalina e no final dá certo. As horas de dificuldade são as que eu mais gosto."Sobre as inúmeras perguntas em relação à aposentadoria no vôlei de quadra, Nalbert pediu calma. "Esse pessoal que quer me ver longe, que quer que eu pare, por favor: dá uma segurada na onda. Ainda vai demorar mais um pouquinho", avisou.E ele ainda deixou no ar a possibilidade de continuar nas quadras, apesar do desejo de jogar vôlei de praia. "Eu quero muito ir para a praia, não sou marqueteiro para brincar com esse assunto. Mas claro que se eu não me der bem com o parceiro, ou não arrumar patrocínio, posso voltar para a quadra. O problema é que os treinos já estão pesando. No vôlei de praia as coisas são diferentes, o trabalho físico é diferente e o desgaste é menor", explicou. Mas, por enquanto, Nalbert está concentrado na semifinal da Superliga, em que o Banespa irá enfrentar o On Line. A outra série melhor-de-cinco jogos será entre Telemig/Minas e Wizard/Suzano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.