Giovane cobra o Suzano na Justiça

O Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo deu parecer favorável ao ex-jogador Giovane em processo que ele move contra o Suzano, clube que defendeu no Campeonato Paulista de Vôlei de 2002, quando foi campeão. O processo foi aberto na 1ª Vara de Trabalho de Suzano, com ganho de causa ao atleta.Giovane arrolou como testemunha o técnico Ricardo Navajas. O Suzano recorreu ao TRT e perdeu novamente, restando ao clube, que não tem mais o time masculino, a última instância, o Tribunal Superior do Trabalho. Ele cobra do Suzano todos os seus direitos trabalhistas não pagos quando de sua rescisão.?O Suzano não me pagou férias e 13º, nem o prêmio da conquista do título estadual?, disse Giovane, que preferiu não revelar o valor da ação. ?Acho que o Suzano vai gastar mais dinheiro com advogados se quiser continuar no caso. O valor nem é tão significativo assim.?O departamento jurídico do Suzano informou que as decisões sobre o assunto estão restritas ao presidente Sérgio das Chagas Ramos, que estava ?incomunicável?. Sabe-se que no processo o Suzano usou como argumento o fato de o jogador não ser considerado ?atleta profissional? e que seus direitos de imagem não fazem parte do seu salário ? portanto, sem vínculo empregatício com o time. O juiz-relator Ricardo Artur Costa e Trigueiros, da Quarta Turma do TRT, derrubou as duas teses de defesa do réu. E pegou pesado. O Suzano argumentou ainda que o caso deveria ser julgado nas instâncias desportivas. ?Não há como crer na possibilidade de uma agremiação que participa do campeonato nacional de vôlei (Superliga), contratar o maior jogador da modalidade apenas para explorar sua imagem sem que ele esteja obrigado a treinar e a jogar na equipe.?Campeão mundial e dono de duas medalhas de ouro olímpicas, Giovane já deixou as quadras. Ele é hoje gerente de esportes da Unisul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.