Giva se salva em jogo sofrível na Vila

Garoto de 20 anos faz dois gols - o segundo de forma irregular - na vitória do Santos sobre o Mirassol, de virada

GONÇALO JUNIOR, O Estado de S.Paulo

22 de março de 2013 | 02h06

Mesmo na seleção brasileira, Neymar inspirou o atacante Giva, autor dos dois gols da vitória sobre o Mirassol por 2 a 1. Usando a mesma camisa 11 do craque, o atacante de 20 anos, revelado pelas categorias de base, foi o destaque da virada no placar, que colocou o Santos na vice-liderança do Paulista. O time da Vila terminou o jogo com nove jogadores (Patito e Felipe Anderson foram expulsos).

Giva não fez chover como costuma fazer o dono da 11. Apenas correu, mostrou vontade, deu opções e chutou ao gol. Foi o único que aproveitou a oportunidade de atuar bem - o Santos tinha quatro desfalques (além de Neymar, Montillo, Cícero e Marcos Assunção).

O gol do triunfo alvinegro foi motivo de reclamação do Mirassol. Embora o auxiliar Leandro Feitosa tenha assinalado impedimento de Patito Rodríguez no chute de Giva, o árbitro Rodrigo Braghetto validou o gol.

Foi um jogo que riscou as etiquetas "time grande" e "time pequeno" que identificam os confrontos do torneio. Com um jogo simples - marcação em seu próprio campo, velocidade e acerto nos passes -, o Mirassol foi dono do início da partida. Aos 20, após cobrança de escanteio, André Luís chutou cruzado e fez com que a Vila, já desanimada com o ritmo lento do Santos, murchasse de vez.

Não foi à toa que Edu Dracena gritava para que o time da Vila acordasse. Desesperançados, os torcedores nem sonhavam com os lampejos de Montillo ou as arrancadas de Neymar. Esperavam apenas o básico, uma tabela certa ou, vá lá, uma falta bem cobrada. O Santos chegou perto disso aos 10, quando os laterais avançaram e Miralles perdeu duas chances seguidas. Em uma delas, mérito do goleiro; na outra, demérito do argentino.

Poucos aproveitaram a chance de sair do limbo do banco de suplentes. Apesar dos berros de Muricy para corrigir seu posicionamento, Felipe Anderson teve mais uma atuação apagada e foi expulso no final de jogo pelo segundo amarelo; Patito mostrou - mais uma vez - que é apenas um coadjuvante; Miralles já não vive seu melhor momento. Apenas Giva - que fez o gol de empate no final do primeiro tempo, de cabeça, e definiu o placar na etapa final com um chute seco - conseguiu se salvar na Vila Belmiro.

Outros resultados. A Ponte Preta, terceira do torneio, empatou fora de casa com o União Barbarense por 1 a 1. O São Caetano saiu da lanterna com os 3 a 0 que fez sobre o Paulista e o Guarani perdeu diante de sua torcida para o Paulista por 2 a 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.