Goiás atropela o Santos: 4 a 1

Após seis jogos de invencibilidade, paulistas são humilhados no Serra Dourada, em Goiânia

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

20 de setembro de 2008 | 00h00

O único invicto no returno do Campeonato Brasileiro caiu na noite de ontem, de modo vergonhoso, para o melhor time da segunda parte da competição. No Serra Dourada, com o apoio da torcida, o Goiás confirmou o favoritismo ao fazer 4 a 1 no Santos, com extrema facilidade, e pulou para a nona colocação, com 39 pontos, dez a mais do que o adversário, em 14º."Espero que esse resultado não abata nossa equipe, pois ainda continuamos em uma situação complicada na tabela", alertou o santista Fabiano Eller. "Estávamos seis jogos sem perder e hoje (ontem) entramos com sono em campo, jogamos mal."Não fosse o primeiro turno, o Goiás estaria forte na briga pelo título. A má campanha no início, no entanto, fez o time comandado por Hélio dos Anjos pensar primeiro em não cair para a Série B e, depois, com os bons resultados aparecendo, a sonhar por vaga na Taça Libertadores. Nas últimas sete partidas, foram cinco vitórias (como a virada sobre o líder Grêmio, por 2 a 1, em Porto Alegre), um empate e apenas uma derrota.Assim como os goianos, o Santos também vinha empolgado na competição após a demissão de Cuca e a chegada de Márcio Fernandes. Antes do jogo de ontem, o time estava numa seqüência de três vitórias e três empates no returno. A positiva campanha, que tirou a equipe da zona de rebaixamento, fez com que o treinador falasse, até com certo otimismo, em classificação para a Libertadores. Exagerou. A luta dele deve se resumir mesmo apenas pela Copa Sul-Americana após o tropeço no Serra Dourada.Em uma daquelas noites em que nada dão certo, o Santos foi facilmente dominado pelos donos da casa. Logo no primeiro minuto, Paulo Baier cabeceou sozinho para fazer 1 a 0. Atordoada e perdida em campo, a zaga santista falhou de novo e Anderson Gomes, no contra-ataque, saiu sozinho na frente do goleiro Douglas e, com categoria, anotou o segundo gol, aos 3 minutos.O Santos não mostrou poder de reação. Quando estava com a bola, a perdia rapidamente, exagerando nos passes errados. Chutes a gol, apenas de fora da área e sem sucesso nenhum. Lá atrás, os erros continuaram. Wendel bobeou, Júlio Gomes ficou com a bola e foi derrubado pelo atrapalhado Fabão. Pênalti que Iarley não desperdiçou, aos 13 minutos.O restante do primeiro tempo irritou Hélio dos Anjos, que queria seu time mais ligado e aproveitando as várias chances criadas. O Santos tratou de se defender. Conseguiu por um tempo, mas não foi o suficiente para não tomar mais nenhum gol. Aos oito minutos da segunda etapa, Vitor cruzou e o zagueiro Rafael Marques deixou sua marca para o Goiás.Um pouco melhor na parte ofensiva na parte final, o Santos conseguiu balançar as redes, com Pará, aos 29 minutos. O time ainda teve chance de marcar com Lima, mas o atacante chutou para fora. O resultado foi justo e confirmou a ascensão do Goiás no campeonato - e acabou com a empolgação de Márcio Fernandes e companhia.O próximo desafio santista será contra a Portuguesa, domingo, na Vila. O Goiás recebe o Vitória no sábado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.