Gol de mão na mira do TJD

Fabrício Carvalho pode pegar punição de 1 a 3 jogos

Bruno Deiro, O Estadao de S.Paulo

27 de março de 2009 | 00h00

Herói da Portuguesa no empate por 2 a 2 com o Mirassol, no Canindé, o atacante Fabrício Carvalho pode ser punido pelo gol de mão nos minutos finais da partida. Ontem, o procurador do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), Antônio Meccia, solicitou a fita com as imagens do jogo para avaliar o lance. Se condenado, por atitude antidesportiva (artigo 251), o atacante da Lusa pode pegar de um a três jogos de suspensão."Se for provado que houve má-fé, o jogador pode sofrer punição por comportamento antidesportivo", afirma Meccia. Caso comprove a intenção do atacante de desviar a bola com a mão após cruzamento na área, o procurador deve denunciar Fabrício Carvalho na próxima segunda-feira ao TJD. Após a partida, o atacante da Lusa evitou se comprometer e foi evasivo ao comentar a jogada. "Trombei com o zagueiro, só sei que vi a bola entrando. Foi um lance rápido", afirmou. O jogador é reincidente em gols irregulares: em 2007, marcou com a mão um gol que ajudou o Goiás a chegar à final do Campeonato Goiano. Naquela oportunidade, porém, admitiu e ironizou a situação. Acabou enquadrado no artigo 258, que prevê punição a "quem assume atitude contrária à disciplina ou à moral do esporte". Resultado, o gancho foi de 30 dias.O gol contra o Mirassol, que empatou a partida aos 41 minutos do segundo tempo e manteve a Portuguesa no G4 do Estadual, foi o primeiro de Fabrício Carvalho na competição.Outro que pode ser punido pelo gol de mão da Portuguesa é o árbitro da partida, Milton Ballerini. Ontem, a comissão de arbitragem da Federação Paulista de Futebol informou que sua atuação na partida está sendo avaliada. Depois do jogo, Ballerini ainda teve de ouvir reclamações de jogadores da Lusa por outro lance, em que anulou corretamente um gol de Edno, em impedimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.